Enigma Teatro apresenta “A grande questão” na Trienal de Luanda

Palácio de Ferro em Luanda (Voa)

O colectivo de artes “Enigma Teatro” apresenta esta quinta-feira (dia dez de Novembro), às 20 horas, no Palácio de Ferro, a peça “A Grande Questão”, no quadro das actividades da III Trienal de Luanda, que decorre desde Novembro de 2015, sob o signo “Da utopia à realidade”.

A obra, da autoria e direcção de Tony Frampênio, aborda, de forma humorística, a história da cidade de Luanda, a capital de Angola, satirizando questões inerentes à vida sociopolítica, cultural e económica do país.

De gênero sátira, “A grande questão” retrata igualmente os aspectos intrínsecos à cidadania, como o resgate dos valores cívicos.

Entretanto, durante 60 minutos, os actores Fernandes Rodrigues (Ti Povo), Jany Pereira (Capital), Suraia Quintas (Dona Justiça), Helton Agustinho (Empresário), Nelson Nadongala (Advogado) e Estevão Bravo (Estrangeiro) vão “entregar-se à história”.

Trata-se de um romance que coloca a capital, Luanda, bem como os seus habitantes nas barras do tribunal, a fim de serem julgados e condenados, tendo em vista a relação amorosa que ambos mantêm.

Fundado em 1998, a partir da fusão dos grupos Os Makotes (1987) e Komba Meneck (1997), o “Enigma Teatro” foi vencedor dos prémios Cidade de Luanda (2010) e Nacional de Cultura e Artes (2014), atribuído anualmente pelo Ministério da Cultura.

No ano passado (2015), arrebatou o troféu máximo do Prémio Angola 40 anos de Independência.

Iniciada em Novembro do ano passado, a III Trienal de Luanda, decorrerá até ao dia 30 de Novembro do corrente ano, sob o lema “Da utopia à realidade”, afigurando-se como um espaço de arte, símbolo de liberdade e uma plataforma para alargar o espectro do diálogo cultural. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA