Empresários tencionam investir mil milhões e 200 mil dólares em sectores “chaves” da economia

Norberto Garcia, Director da UTIP (Foto: Gaspar dos Santos)

Pelo menos mil milhões e 200 mil dólares norte-americanos poderão ser disponibilizados pelos empresários chineses para apoiar o desenvolvimento do sector agrícola, das pescas, da energia e águas, da geologia e minas, da indústria transformadora e da construção civil em Angola.

Estes dados constam no comunicado final do Fórum de Investimento Angola/China, decorrido nos dias 7 e 8 deste mês, em Luanda, numa promoção da Unidade técnica para o Investimento Privado (UTIP) da Casa Civil do Presidente da República de Angola em parceria com o Ministério do Comércio da República Popular da China.

Ao proceder a leitura deste documento, o director da UTIP, Norberto Garcia, referiu que o montante em referência resulta dos contratos celebrados, em termos de propostas concretas, entre os empresários angolanos e chineses, que mostraram o interesse de investir em vários sectores da actividade económica no país.

Além destes contratos, acrescentou, foi também possível concretizar as propostas e intenções de investimentos na ordem de dois mil milhões de dólares.

Segundo o responsável, estas intenções de investimento privado demonstra que Angola possui condições propícias para atrair os investidores, por isso cabe a todos os agentes económicos se envolverem na causa para juntos contribuir no processo da diversificação económica do país.

Na sua óptica, depois de ter sido feito o levantamento nacional sobre os investimentos privados a nível de todo país, Angola está em condições de dinamizar todos os seus projectos, contando com o apoio de todos investidores.

O evento que contou com a participação de mais de mil investidores, entre angolanos e chineses, visou essencialmente reflectir em torno da concretização e aceleração dos projectos existentes no país, bem como na assinatura de novos contratos que visam captar investimento para Angola.

O fórum foi considerado como um dos maiores eventos, em termo bilateral, que os investidores chineses participam, fruto da visão estratégica diplomática do Titular do Poder Executivo da República de Angola, José Eduardo dos Santos.

O encerramento do Fórum de Investimento Angola/China ficou igualmente marcado com uma visita de constatação à Zona Especial Económica (ZEE), onde os empresários chineses mostraram a intenção de investirem nas unidades fabris daquela zona. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA