Director Nacional afirma que jornalistas devem ser fontes de promoção de valores

Rui Vasco - Director nacional de Informação (Foto: Lino Guimarães)

O director nacional de Informação do Ministério da Comunicação Social, Rui Vasco, apelou terça-feira, em Benguela, aos jornalistas a serem fontes de promoção de valores e não de intimidação e violação da privacidade das pessoas.

Rui Vasco falava no encerramento do workshop promovido pelo Fundo de Apoio Social (FAS), em parceria com a União Europeia e CEFOJOR, que visou capacitar os jornalistas da mídia publica e privada, sobre o desenvolvimento local.

O responsável disse que, os órgãos de comunicação social, devem ser fontes de promoção de valores, assim como a divulgação da realidade das regiões locais, evitando um jornalismo de violência e intimidação.

Rui Vasco adiantou ainda que, o bom jornalismo crítico, responsável e profissional, contribui para desenvolver um ambiente seguro, onde os angolanos possam ver os seus direitos salvaguardados ligados ao bom nome, imagem, honra e privacidade, seja na mídia tradicional ou digital.

Segundo o responsável, a salvaguarda dos direitos dos cidadãos é vital para a protecção da vida humana, um progresso social e o desenvolvimento do país, contando com contributo dos profissionais.

Deu a conhecer que, o workshop que visou capacitar os jornalistas, enquadra-se no quadro nacional de desenvolvimento que visa munir os profissionais do sector, o que contribuirá para um melhor jornalismo, cobertura da informação e mais prestação adequada dos serviços públicos.

Rui Vasco salientou que, os conhecimentos adquiridos durante a formação, vão permitir apoiar na divulgação jornalística e não propagandista, iniciativas de desenvolvimento local que promovam a estabilidade das populações.

Durante dois dias, jornalistas vindos das 18 províncias do país abordaram temas sobre recolha de conteúdos informativos, bem como o papel dos principais parceiros na implementação do projecto financiado pela União Europeia em 14 províncias do país.

O acto de encerramento foi testemunhado pelos directores do CEFOJOR e FAS Benguela, Joaquim da Conceição e Maria de Jesus respectivamente, para além dos jornalistas de distintos órgãos do país. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA