Detida mulher no centro de escândalo político na Coreia do Sul

Choi Soon-Sil foi interrogada durante horas nesta segunda-feira (Afp)

A protagonista do escândalo político que envolve a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, foi detida, anunciou a justiça de Seul.

Choi Soon-Sil, acusada de fraude e envolvimento em assuntos do Estado durante os anos de amizade com Park, foi interrogada durante várias horas na segunda-feira, depois de retornar ao país e entregar-se às autoridades.

“Há uma possibilidade de que Choi tente destruir provas porque nega todas as acusações”, afirmou uma fonte da Promotoria à agência Yonhap, antes de informa que ela permanecerá detida por 48 horas.

“Ela havia fugido para o exterior e não tinha um endereço fixo no país. Existia o risco de fuga. Também se encontra em um estado psicologicamente instável”, completou a fonte.

A presidente Park e Choi Soon-Sil são amigas próximas há 40 anos.

A imprensa afirma que Choi, de 60 anos, actuou com uma conselheira nas sombras, influenciando de maneira considerável as decisões do governo apesar de não ter nenhum cargo oficial.

Também se acredita que Choi colaborou em discursos da presidente e teve acesso a documentos secretos, revelações que provocaram uma onda de críticas a Park Geun-Hyeta, que ainda tem um pouco mais de um ano de mandato.

Choi também foi acusada de utilizar o relacionamento com a presidente para forçar doações a duas fundações e depois utilizar os recursos em benefício próprio.

Park pediu desculpas publicamente na semana passada e reconheceu que Choi prestou assessoria em alguns discursos. Desde então foram registadas manifestações que pedem sua renúncia em Seul e outras cidades. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA