Cunene: Governador considera independência um ganho inestimável dos angolanos

Kundi Paihama - Governador do Cunene (Foto: José Cachiva)

O governador do Cunene, Kundi Paihama, considerou hoje, sexta-feira, na povoação de Odayandema, município do Cuanhama, a conquista da Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975, um ganho inestimável para o povo angolano, pois permitiu a constituição de um país soberano e livre do regime colonial português na altura.

O responsável teceu estas considerações no acto provincial alusivo aos festejos dos 41 anos de Independência Nacional, assinalados neste 11 de Novembro, sublinhando que esse feito foi alcançado graça a bravura e coragem dos angolanos que se entregaram na luta de libertação de Angola.

“Os portugueses ficaram em Angola há mais de 500 anos, os angolanos nunca se vergaram diante da ocupação e exploração dos povos, realidade que originou vários cenários de lutas de resistências desde os tempos dos reinos até a historia mais recente e, a 11 de Novembro de 1975, Angola vê-se livre da opressão colonial com a proclamação da independência nesse dia”, disse.

Kundi Paihama apelou a nova geração a rever-se sempre nos ideais que nortearam a luta pela independência de Angola livre, soberana e próspera, daí serem tidos como a continuidade.

No decurso das festividades, em Odayandema, Kundi Paihama inaugurou um sistema de abastecimento de água, que irá abranger quatro mil e 673 habitantes da localidade, deixando assim de percorre longas distâncias na procura desse bem.

A cerimónia de celebração dos 41 anos de independência no Cunene foi ainda marcada com actividades recreativas, culturais e exibição de danças tradicionais do povo Cuanhama. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA