Cuando Cubango: Inaugurado centro de medicina e reabilitação física

Cuando Cubango: Inaugurado Centro de Medicina Física e de Reabilitação (Foto: Armando Morais)

Um centro de medicina física e reabilitação de Menongue, com capacidade de internamento para 54 camas, foi inaugurado, sexta-feira, pelo governador da província do Cuando Cubango, Pedro Mutindi, no âmbito das comemorações dos 41 anos da Independência Nacional.

O centro, construído de raíz em 12 meses, possui uma sala de electroterapia e outra de mecanoterapia equipadas, salas de reuniões, de técnicos, farmácia, balneários, roupeira, lavandaria, arrecadação, área administrativa da direcção, como gabinetes diversos.

Construída pela empresa “Minga & Filhos” numa área de 1.585 metros quadrados, a infra-estrutura orçou em 141 milhões e 900 mil Kwanzas, sendo que da capacidade de internamento a enfermaria de homens de quatro quartos com dois compartimentos.

O centro tem igualmente, a par das áreas para os adultos de ambos os sexos, reserva igualmente uma área para crianças com seis camas e casas de banhos, tendo serviços de fisioterapia, com quatro técnicos superiores e sete enfermeiros e de ortoprotesia com um técnico superior e cinco enfermeiros.

Pedro Mutindi salientou que o acto acontece num dia gratificante porque o país está a comemorar o seu 41 aniversário da proclamação da independência, uma data histórica, memorável e para a população da província em particular, com inaugurações de vários empreendimentos no Cuando Cubango.

Sublinhou que é um empreendimento de referência, tendo em conta o passado do país em que quer na luta de libertação nacional, quer na guerra civil para a defesa da integridade territorial e agora com os 14 anos de paz, em milhares de pessoas ficaram deficientes e que precisam da sua recuperação física, através dos programas do governo dirigido pelo Presidente José Eduardo dos Santos.

Reconheceu que o Titular do Poder Executivo tem estado a conduzir e com prioridade necessária, através dos recursos financeiros disponíveis, atender ás pessoas portadoras de deficiência, considerado grupo vulnerável, visando a sua devida reintegração na sociedade.

A título de exemplo, o governador fez saber que muito recentemente, por orientação do Executivo, mais de 300 pessoas de ambos os sexos, anteriormente abandonadas pela Unita, foram transferidas de Mavinga para Menongue, no sentido de merecerem uma devida atenção na sua recuperação física, pelo que o centro constitui uma mais-valia neste processo.

“E com este centro que acabamos de inaugurar, apetrechado, com pessoal técnico à altura que demostrou, por altura da visita dos ministros dos antigos combatentes e Veteranos da Pátria de Angola e da Coreia do Sul, sobre o domínio que tem da área em que trabalha. É mais uma conquista para a província e acredito que aqui serão prestados os melhores serviços”, destacou.

Segundo o governante, esta melhor prestação de serviços recai para a produção de próteses a ser feita posteriormente para os deficientes de membros superiores e inferiores, encontrando assim uma pronta solução para o referido problema que os afligem e enfrentar melhor as suas vidas.

Agradeceu aqueles que estiveram ligados directa e indirectamente à concretização do empreendimento considerado de referência naquela província, com desta para empresária Minga, que honrou com os compromissos da conclusão da obra.

Sobre a data, o governador disse que a população do Cuando Cubango comemora-a com muito orgulho, satisfação e com a cabeça erguida e, sobretudo, com o reconhecimento de tudo quanto foi feito para que o dia de hoje tivesse lugar.

Pedro Mutindi salientou que serve de pensamento sobre “aqueles filhos” que derramaram o seu sangue, perderam as suas vidas para que a Independência e o dia de hoje fossem realidades para o povo angolano que vive e tem a oportunidade de desfrutar dos benefícios actuais.

Neste particular, destacou a figura do primeiro Presidente da República, António Agostinho Neto, assim como o seu sucessor, José Eduardo dos Santos que, com determinação, firmeza, sabedoria, sempre tomou medidas certas para trazer o país no momento que se encontra, pacificada e com infra-estruturas fundamentais recuperadas. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA