Construção de infra-estruturas do 1º de Agosto como base do sucesso

Ministro da Defesa, João Lourenço saúda atletas do 1º de Agosto, Campeãs Africanas de Andebol (Foto: Alberto Julião)

O investimento realizado em infra-estruturas desportivas, algumas delas ainda em fase de execução, está na base dos resultados positivos alcançados este ano por diversas modalidades do 1º de Agosto, nomeadamente no Girabola2016.

Estás palavras foram expressas hoje, em Luanda, pelo ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, durante a cerimónia de entrega dos troféus conquistados pelas equipas principais de futebol no campeonato nacional da I divisão, Girabola2016 e de andebol feminino no “africano” disputado de 21 a 30 de Outubro, em Ouagadougou (Burkina Faso).

De acordo com o titular da pasta da defesa, fruto deste investimento, é impensável constituir-se qualquer selecção nacional sem contar com um bom número de jogadores do 1º de Agosto.

“Os bons resultados estão igualmente na base da recente manifestação de confiança dos associados, reflectida na reeleição dos órgãos directivos do clube por mais um mandato’’ – disse.

Expressou ainda que as façanhas protagonizadas nos campos de futebol e de andebol encheram de profunda alegria e imenso orgulho a todos os sócios e adeptos do clube militar.

“Deixo no entanto um conselho. Não adormeçamos à sombra da bananeira. As vitórias têm a tendência de nos embriagar e criar em nós a falsa ideia de que somos invencíveis, imbatíveis, o que não pode ser verdade. Seremos invencíveis, imbatíveis, não pelas vitórias já alcançadas, mas pelas lições que delas tiramos, pela análise crítica os erros cometidos pelo trabalho cada vez mais organizado e árduo pela conquista de novas vitórias’’ – salientou.

Disse, por outro lado, que o clube conquistou o seu espaço no desporto nacional e internacional, sobretudo no continente africano, tanto no futebol, andebol, sem esquecer o basquetebol e as restantes modalidades que a agremiação movimenta.

Enquanto isso, o capitão da equipa de futebol Dani Massunguna reconheceu as dificuldades encontradas ao longo dos 10 anos de jejum, salientando que após o repto lançado em 2015 pelo ministro, este ano, foi concretizado com a conquista do 10º campeonato nacional.

“Este momento enche-nos de alegria e satisfação pelo objectivo cumprido há muito tempo ansiado pelos sócios e adeptos espalhados por todos o país’’ – indicou.

“Foi uma competição cujo domínio pertenceu à nossa equipa, pois mantivemos na liderança desde a 1ª jornada, não permitindo que em momento algum, fossemos ultrapassados na classificação. Não foi uma competição fácil, mas o empenho e dedicação demonstrados pelos dirigentes, técnicos e atletas durante a época recém- terminada, merecemos ser campeões’’ – concluiu.

Por outro lado, a capitã da equipa feminina de andebol, Elizabeth Caílo, realçou que o terceiro troféu conquistado de campeã africana de clubes, representa uma distinção inédita alcançada pela primeira vez nesta modalidade, pelo facto de ficar definitivamente no clube por ser o terceiro consecutivo e na história da formação militar.

“O longo caminho percorrido e que ultimamente vem culminando com resultados dignificantes para o clube e para a modalidade, é resultado do trabalho abnegado levado a cabo pela direcção, equipas técnicas e atletas, com destaque na formação de novos talentos, cujos frutos são visíveis com os ganhos desportivos dentro e fora do país’’ – rematou.

O acto contou com as presenças de responsáveis dos distintos ramos das Forças Armadas e o Chefe de Esta Maior General da Forças Armadas, Geraldo Sachipengo Nunda. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA