Conjuntura actual leva UNITA a propor debate sobre renda nacional

Navita Ngolo Manuvakola (Novagazeta)

A segunda vice-presidente da bancada parlamentar da UNITA, Navita Ngolo Manuvakola, afirmou, em Luanda, que o seu partido, ao propor à Assembleia Nacional (AN) o tema “Os indicadores do crescimento e económico e a distribuição da renda nacional em Angola”, para o debate mensal no hemiciclo, no dia 16 de Novembro, teve como base a actual conjuntura sócio-económica que o país vive, tendo em conta a taxa de crescimento elevado, sobretudo dependente do sector petrolífero.

Em exclusivo a OPAÍS sobre as razões que estiveram na base da apresentação deste tema para o debate mensal, a deputada da UNITA referiu que o seu partido teve em conta, nesta proposta, o facto de a distribuição justa da riqueza ser um desastre por o Estado não estar a preocupar-se com esta questão.

Na sua óptica “um determinado grupo de angolanos ligados ao mesmo círculo familiar detém a maior parte da riqueza dos angolanos, quando a maior parte dos angolanos não tem usufruído deste crescimento que fomos tendo nos últimos anos”.

“Entendemos que esta questão da distribuição da riqueza é fundamental para o desenvolvimento humano, para o desenvolvimento económico do nosso país e achamos que é altura, sobretudo quando vemos os níveis de percepção da corrupção em Angola”, disse.

A parlamentar frisou que a intenção é levantar-se um debate, por exemplo, sobre o índice de desenvolvimento humano, que é um factor fundamental, para além do crescimento da economia.

“É preciso que este crescimento seja distribuído para todos e o fundamento deste é esta questão para que aqueles que governam possam gizar políticas tendentes ao crescimento.

O que é produzido e é nacional deve chegar a casa de todos os angolanos por via dos salários e de oportunidades iguais para todos os cidadãos”, frisou. (OPais)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA