Concretização de projectos de investimento privado dura 45 dias

Norberto Garcia - Director da Unidade Técnica para o investimento Privado (Angop)

Quarenta e cinco dias é o tempo necessário para concretização de um projecto de investimento privado nos sectores da actividade económica em Angola, visando desburocratizar o processo de consolidação de programas de investimentos no país.

O facto foi anunciado esta sexta-feira, em Luanda, pelo director da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) da Casa Civil do Presidente da República, Norberto Garcia, tendo referido que a intenção visa evitar o excesso de burocratização na constituição de projectos de investimentos no país e dar maior conforto aos investidores nacionais e estrangeiros.

O responsável que falava durante uma conferência de imprensa para anunciar a realização do Fórum de Investimento Angola/China, a decorrer nos dias 7 e 8 deste mês, no Centro de Convenções de Talatona (CCTA), em Luanda, afirmou que a UTIP está a trabalhar afincadamente em prol do bem-estar dos investidores que tencionam contribuir na aceleração da diversificação da economia nacional e no aumento da riqueza das populações.

Segundo Norberto Garcia, a instituição que dirige tem o compromisso de garantir qualidade eficiente no atendimento e na prestação de serviços aos empresários interessados a cooperar com Angola no processo de crescimento e desenvolvimento sustentável dos sectores produtivos no país.

“A celeridade e simplificação no tratamento dos processos, transparência, humanismo e o comprometimento com o interesse nacional constituem os principais valores que norteiam a equipa de trabalho da UTIP, fazendo com que o serviço prestado tenha uma qualidade reconhecida e comprovada”, afirmou o director.

Quanto à realização do Fórum de Investimento Angola/China, o director confirmou que vai contar com a participação de cerca 300 empresários chineses, que durante dois dias vão interagir com os investidores nacionais em torno da concretização dos projectos direccionados aos sectores da agricultura, pescas, indústria, energia e águas, construção civil, transportes, comércio, educação, saúde, entre outros.

O evento que visa criar um ambiente propício para cooperação económica e combinar factores de estratégias empresariais, visando captar investimentos para os projectos que precisam de financiamento, resulta da diplomacia económica desenvolvida pelo Executivo Angolano nos diversos países do mundo.

Ao realizar este encontro de empresários, Angola torna-se o primeiro país da CPLP, após a realização do Fórum de Cooperação entre a China e os países lusófonos, decorrido recentemente em Macau, a concretizar o espírito das parcerias privadas que o governo chinês está a propor ao continente africano, fazendo com que os angolanos e chineses intensifiquem a cooperação em matérias de investimento privado e consolidem a concretização dos projectos existentes.

A Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) da Casa Civil do Presidente da República de Angola existe há 12 meses (um ano), período que possibilitou a concretização de cerca de 43 projectos a nível nacional e permitiu captar um investimento avaliado em nove mil milhões de dólares norte-americanos.

A UTIP presta um serviço técnico especializado de apoio permanente ao Titular do Poder Executivo, encarregue pela preparação, condução, avaliação e negociação de projectos de Investimentos Privado cuja aprovação nos termos da Lei do Investimento Privado e respectivo regulamento seja da competência do Titular do Poder Executivo.

É da competência da UTIP, a recepção e análise das propostas de investimento de montante superior ao contravalor em Kwanzas (AOA) equivalente a USD 10 milhões. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA