Cientistas dizem que nossa ‘alma’ não morre e retorna ao universo

(Foto: Getty Images)

Cientistas acreditam ter desenvolvido uma teoria que mexe com um assunto polémico:a natureza da consciência – ou “alma” e seu mecanismo no cérebro e, quem sabe, seu destino final após a morte. A informação é do History.

Desde 1996, o médico Stuart Hameroff, do Departamento de Anestesiologia e Psicologia e director do Centro de Estudos da Consciência, da Universidade do Arizona, junto com Sir Roger Penrose, físico matemático da Universidade de Oxford, desenvolveram uma Teoria Quântica da Consciência, que define que a alma fica alojada em microtúbulos das células cerebrais.

“A origem da consciência reflecte o nosso lugar no Universo, a natureza de nossa existência. Será que a consciência evoluiu de complexas operações computacionais entre os neurónios do cérebro, como a maioria dos cientistas afirmam? Ou a consciência, em algum sentido, esteve aqui o tempo todo, como as abordagens espirituais afirmam?” perguntaram Hameroff e Penrose em uma revisão da sua teoria. “

As experiências da consciência seriam um efeito da gravidade quântica nesses microtúbulos, que actuam como canais para a transferência da informação responsável pela consciência. “Quando o coração para de bater, o sangue para de correr e os microtúbulos perdem seu estado quântico. A informação quântica nos microtúbulos não é destruída, não pode ser destruída. Ela é simplesmente distribuída e dissipada pelo Universo”, eplica Hameroff. (Yahoo)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA