Chuvas causam inundações em quase toda periferia de Luanda

Chuva em Luanda (Arquivo) (Foto: Pedro Parente)

Bairros e residências inundado, estradas intransitáveis, com o realce para a periferia da cidade de Luanda, é o balanço da chuva que se registou na noite de domingo e madrugada de hoje, segunda-feira, na capital angolana com alguma intensidade.

Em declarações à Angop , o porta-voz do comando provincial do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Faustino Minguês, informou que as inundações verificam-se, principalmente nas áreas consideradas crónicas, como as bacias e lagoas, alguns troços de vias principais, terciárias e secundarias.

No município do Cazenga a situação crítica se regista nas zonas do Tio-Mingo, Catumbela, Mabululo, Velho-Kimbundu, Mulevos, Tunga-Ngô, Buraco, 5ª, 6ª e 7ª avenida.

No Belas, destacam-se os bairros das Salinas, no Benfica, do Camama com residências inundadas e dificuldades na circulação rodoviária e locomoção dos moradores.

Situações semelhantes verificam-se em diversas zonas dos municípios de Viana e Cacuaco respectivamente na Avenida Ngola-Kiluamge, principal do Cacuaco, estrada Nova, km9A e kmb.

O cenário do distrito urbano da Ingombota, depois das enxurradas da tarde de sábado, é também de inundações em residências, quintais e alagamento de ruas dos bairros da Boavista, da Kinanga e Chicala I e II.

A Ingombota registou igualmente inundações na Avenida 4 de Fevereiro, principalmente na zona do Banco Nacional de Angola.

No distrito da Maianga, os bairros da Polícia, Catintom, algumas ruas do Cassenda e Cassequel são as zonas de maior concentração de água.

Já no Sambizanga as ruas 12 de Julho, Ndunduma, bairros Santos Rosa e Lixeira registaram enchentes, enquanto no distrito urbano da Samba, a área da Camuxiba continua a ser considerada a mais crítica.

No Kilamba-Kiaxi destacam-se os bairros do Golf-II, Palanca, Malangino e Terra Vermelha, enquanto no Rangel são as mais afectadas as ruas da Brigada, parte da Terra Nova e interior do Marçal.

De acordo com o porta-voz em todos municípios e distritos as comissões locais de protecção civil realizam trabalhos de limpeza, com motos bombas e carros para absorção da água.

Entretanto, Faustino Minguês apela aos munícipes a não caminhar descalço nem apoiar-se em posto de iluminação pública e paredes molhadas, ter cautela com as crianças e adultos devem evitar utilizar os lagos e canais de evacuação de água fluviais e residuais.

Entretanto, as brigadas da Empresa de Limpeza e Saneamento de Luanda (Elisal), empresas subcontratadas das Unidades Técnicas começaram, às primeiras horas de hoje a recolher e a limpar o lixo causado pela chuva.

A província de Luanda alberga mais de seis milhões de habitantes nos distritos urbanos da Ingombota, Kilamba-Kiaxi, Samba, sambizanga, Rangel, Maianga, municípios de Viana, Quiçama, Cazenga, belas, Cacuaco e Icolo e Bengo. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA