BNA celebra 40 anos e aposta no crescimento sustentado

(Foto: D.R.)

O Banco Nacional de Angola (BNA), instituição com funções de autoridade monetária e cambial, celebra hoje, sábado, 40 anos de aposta no crescimento e desenvolvimento sustentado da economia do país.

Um dos principais esteios do sistema financeiro angolano, o Banco Central focou as celebrações do 05 de Novembro deste ano no tema sobre “Ética e bem comum no sistema financeiro”.

Para o frei Mário Rui, que falava numa mesa redonda que assinalou a data, o sistema financeiro tem um papel relevante nas sociedades actuais.

O referido papel, prosseguiu o frei, só pode ser desempenhado de uma forma cabal, se estiver assente na confiança entre os actores sociais e o sistema financeiro.

Para que o pressuposto confiança seja alimentado, disse ser necessário que haja uma base ética no relacionamento entre o sistema bancário e a sociedade.

Igualmente presente na mesa redonda, o professor de Ética e Responsabilidade Social, José Octávio Van-Dúnem, sublinhou o facto de na relação ética/instituições financeiras poder se falar em duas dimensões do tema.

Destacou a primeira que tem a ver com os clientes, onde se deve levar em conta aspectos como o sigilo, a gestão de conflitos de interesses, a lealdade e a protecção do património.

O governador do BNA, Valter Filipe, que presidiu à mesa redonda, desejou felicidade e prosperidade aos funcionários da instituição financeira.

O BNA surgiu em 1926 como Banco de Angola e era a única autoridade bancária do território sob domínio de Portugal até 1975. Em 1976 o Banco de Angola foi transformado no Banco Nacional de Angola.

O Banco Nacional de Angola, como banco central e emissor, tem como principais funções assegurar a preservação do valor da moeda nacional e participar na definição das políticas monetária, financeira e cambial.

Compete ao Banco Nacional de Angola a execução, acompanhamento e controlo das políticas monetárias, cambial e de crédito, a gestão do sistema de pagamentos e administração do meio circulante no âmbito da política económica do país. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA