BET regista uma morte nas estradas nacionais no fim-de-semana

Policia da BET (Arquivo) (Foto: Francisco Miúdo)

A morte de um automobilista e o ferimento de 17 outros, em consequência de 11 acidentes de viação, é o balanço da Brigada Especial de Trânsito (BET) durante o fim-de-semana prolongado, nas estradas nacionais, por ocasião do dia da Independência Nacional.

O porta-voz da BET, inspector-chefe João Pereira, informou que os acidentes e a morte ocorreram nas estradas nacionais número 100 (Luanda/Cuanza Sul/ Benguela), 230 (Luanda/Cuanza-Norte) e 120 ( Sumbe/Gabela).

Os acidentes foram provocados por excesso de velocidade aliado ao mau estado técnico de viaturas, dando a origem a despistes seguido de capotamentos.

Nesta operação foram, ainda, multados 24 automobilistas por excesso de velocidade.

Segundo o oficial, nesta operação foram montados postos com radares e bafómetros, para o controlo de velocidade e testagem de álcool ao longo das vias, apoiados por helicópteros e patrulhamento auto (viaturas e motorizadas).

Não foram detidos automobilistas por consumo excessivo de álcool.

A acção foi também para o aconselhamento dos automobilistas no sentido de serem mais prudentes na condução, observando as normas de condução, não consumir bebidas alcoólicas no exercício da condução.

O uso do cinto de segurança e o controle da velocidade dentro e fora das localidades, o estado técnico de viaturas, não utilização do telemóvel durante a condução e evitar o transporte de pessoas em viaturas destinadas a mercadorias, foram também medidas de aconselhamento dos efectivos da BET.

O radar denominado “Tru Can” actua 500 metros antes do automóvel chegar no posto e a velocidade máxima é de 120 quilómetros/hora para ligeiros e 100 quilómetros/horas para pesados.

Já o controlo de álcool no sangue é de mais de 0,6, pelo que ultrapassada essa taxa, os automobilistas são obrigados a abandonar as viaturas temporariamente e a pagar uma multa.

As equipas fiscalizaram, também, o trânsito automóvel nas zonas Norte, Leste, Centro e Sul a partir das respectivas províncias, apoiados por efectivos do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), bem como dos Serviços de Emergência Médica. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA