Bengo: Mais de cem mil alunos com aproveitamento no presente ano lectivo

Bengo:Visita do ministro da educação ao Bengo (Arquivo) (Foto: Adão João Pedro)

Cento e onze mil e 131 alunos, dos 134 mil 710 matriculados no presente ano lectivo, tiveram aproveitamento na província do Bengo, segundo dados provisórios do sector avançados quinta-feira pelo director provincial da Educação, António Quino.

Em declarações à imprensa para balancear o sector que dirige, o responsável disse referido número de alunos matriculados 17.890 não tiveram aproveitamento, tendo lamentado o abandono escolar de 5.689 alunos, fenómenro que teve maior incidência no sexo feminina, apontando como causas a gravidez precoce, falecimentos migração dos pais, factores culturais e religiosas e de outras índoles.

O director provincial da Educação referiu que o número de alunos que desistiu do sistema de ensino preocupa as autoridades da província, tendo o governador do Bengo, João Bernardo de Miranda, criado, recentemente, uma comissão para fazer estudos e apurar outras situações e definir metas para que este fenómeno seja banido das escolas.

Por outro lado, deu a conhecer que no presente ano lectivo funcionaram 297 escolas, sendo três escolas privadas e cinco comparticipadas, num total de 1.216 salas de aulas públicas, 1.138 do sector privado e 160 salas das escolas comparticipadas.

O processo de ensino público, privado e comparticipado foi assegurado por 4.115 professores, sendo 120 docentes para o ensino técnico profissional, 175 (secundário), 1.494 (primeiro ciclo) e 2.326 (primário).

Instado sobre a problemática existente entre a Direcção da Educação e o Sindicato de professores do Bengo (Sinprof), o responsável disse que algumas condições impostas estão a ser salvaguardadas, com destaque a não exoneração dos professores que exercem cargos de chefia e Direcção, desconto salarial e da quotização automática, assegurando deste modo o ensino.

Assegurou que o sindicato, sendo parceiro directo do Estado, deve procurar conversar e facultativamente os responsáveis de algumas escolas cultivarem o sentido de organização e mobilização para acções que contribuam no sucesso escolar e desenvolvimento do sector.

Apelou aos encarregados de educação e as comissões de pais a trabalharem junto das direcções de escolas, para que haja maior intercâmbio e o sucesso escolar desejado por todos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA