Banco Mundial anuncia 21 milhões de dólares para desenvolvimento agrícola de Timor-Leste

Projeto de Melhoria da Produtividade Agrícola Sustentável visa apoiar pequenos agricultores nas regiões de Ainaro (Belulik), Bobonaro, Ermera, Lautem, Liquiçá e Oecusse(ANT)

Este plano de apoio à agricultura tem o objetivo de apoiar a formação de pequenos agricultores e investimentos agrícolas, para garantir a segurança alimentar e escoamento de produtos.

O Banco Mundial anunciou, esta quinta-feira, um programa de apoio de 21 milhões de dólares durante seis anos a 16.500 famílias timorenses para melhorar a sua produtividade agrícola, reduzir perdas e aumentar as vendas.

Acordado com o Governo timorense, o Projeto de Melhoria da Produtividade Agrícola Sustentável destina-se a apoiar pequenos agricultores nas regiões de Ainaro (Belulik), Bobonaro, Ermera, Lautem, Liquiçá e Oecusse.

Financiado pelo Global Agriculture and Food Security Trust Fund destina-se, segundo explica o Banco Mundial, a apoiar a formação de agricultores e a investimentos agrícolas e rurais em pequena escala, ajudando a melhorar a nutrição dos habitantes locais e o escoamento para o mercado de mais produtos. Pretende ainda ajudar a manter bacias hidrográficas sustentáveis e a melhorar a capacidade de planeamento e monitorização do Ministério da Agricultura e Pescas.

“Este programa vai canalizar apoio direto e tangível às comunidades, melhorar produtividade e segurança alimentar, incluindo a promoção de culturas nutritivas e resistentes ao clima”, disse Bolormaa Amgaabazar, responsável do Banco Mundial em Timor-Leste.

“Também promoverá o planeamento de bacias hidrográficas a nível comunitário e proporcionará oportunidades para investimentos que apoiem as aspirações de pequenos agricultores e de jovens rurais”, referiu ainda.

Apesar das melhorias nos últimos anos no setor agrícola em Timor-Leste, o Banco Mundial recorda que o país enfrenta ainda “desafios significativos”, com “quedas na produção de alimentos básicos, insegurança alimentar sazonal e elevadas taxas de desnutrição que afetam especialmente as mães e crianças”.

“A produtividade agrícola pode ser melhorada com melhores práticas, particularmente no que diz respeito à gestão do solo e da água”, refere o Banco Mundial. (Observador)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA