BAI quer participação activa na produção alimentar

Presidente da Comissão Executiva do BAI, José de Lima Massano (OPAIS)

O Banco Angolano de Investimentos (BAI) está a trabalhar no sentido de compreender melhor o sector agrícola e o agro-negócio para participar de forma activa na produção alimentar, adiantou quinta-feira, em Luanda, o seu presidente da Comissão Executiva, José de Lima Massano.

Em declarações à imprensa, à margem da 4ª conferência anual sobre “Agro-negócio: uma alternativa para o desenvolvimento da auto-suficiência alimentar”, realizada no âmbito do 20º aniversário do Banco, sublinhou que estão a procurar compreender melhor o dinamismo deste sector.

“Queremos compreender como tudo pode acontecer. Temos alguns projectos em Angola que têm estado a acontecer com sucesso e vermos como esse apoio pode ser feito de forma estruturante”, disse.

Acresceu que além de compreender melhor o dinamismo do sector, tendo em conta a sua função, o Banco vai procurar utilizar de forma eficiente os recursos que tem à disposição para apoiar um sector vital para a economia nacional.

Frisou que, nesta fase, ainda não se fala de montantes a investir, mas da “compreensão do sector e em função das políticas e ver a possibilidade de mobilizar recursos para atender as necessidades”.

A 4ª conferência anual sobre “Agro-negócio: uma alternativa para o desenvolvimento da auto-suficiência alimentar”, foi realizada pelo Banco Africano de Investimento (BAI) na sua academia, enquadrada nos 20 anos de existência. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA