Autoridades sanitárias de Viana preocupadas com aumento dos casos de mordedura

Cães vadios (Arquivo) (Foto: Lino Guimaraes)

Várias pessoas têm sido alvo de mordedura de cães vadios nos últimos meses em várias zonas do município de Viana, em Luanda, informou hoje, segunda-feira, o director local da Saúde, Mateus Neto.

Segundo o responsável, que falava à Angop, naquela municipalidade, nos últimos meses registaram-se cinco casos de raiva, situação preocupante, uma vez que as autoridades sanitárias locais não dispõem actualmente de vacina anti-rábica humana.

“ Neste momento, quer as unidades sanitárias de Viana como a grande maioria dos estabelecimentos de saúde da província não possuem vacina anti-rábica humana, pelo que os cidadãos devem tomar muita precaução em relação ao contacto com animais”, disse.

O director municipal da saúde aconselha, em caso de mordedura por um cão ou macaco, que se lave a ferida com bastante água e sabão e se procure imediatamente o atendimento num estabelecimento hospitalar.

Explicou que não obstante a falta de vacinas, o pessoal médico certamente vai dar os primeiros socorros e, em caso de necessidade, vai transferir o paciente para unidades de referência que tenham a vacina anti-rábica humana, como é o caso de algumas clínicas.

“ Deve-se igualmente investigar se o animal tem a vacina anti-rábica em dia e se assim acontecer, certamente não será motivo de grande preocupação”, referiu.

Alertou a população para, em caso de mordedura, não se dirigir aos postos médicos privados nos bairros, pois muitos têm enganado as pessoas ministrando em humanos, vacina anti-rábica para animais.

“As pessoas devem ter muito cuidado, pois, na ânsia do lucro fácil, alguns cidadãos não hesitam em ministrar a vacina errada em humanos, que certamente não irá fazer o efeito desejado ou pode acarretar outras consequências nocivas”, frisou.

O município de Viana é um dos mais extensos e populosos da província de Luanda, com uma população estimada em cerca de dois milhões de habitantes. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA