Zaire: Reiterado combate à imigração ilegal

Contra-almirante Augusto Pedro, comandante da RNN da Marinha de Guerra Angolana (Foto: João F. Cuti)

O comandante da Região Naval Norte da Marinha de Guerra de Angola (MGA), contra-almirante Augusto Pedro, reiterou nesta quarta-feira, no Soyo, província do Zaire, a determinação dos efectivos deste ramo das Forças Armadas Angolanas (FAA) no combate à imigração ilegal.

O oficial da Região Naval Norte da MGA, que abarca, além do Zaire, as províncias de Luanda, Cabinda, Bengo e Cuanza Sul, disse que o contrabando de combustível, a fuga ao fisco, pesca ilegal e outras infracções marítimas continuarão a merecer a atenção dos marinheiros.

Ao intervir no acto de abertura da palestra sobre o “desenvolvimento do Zaire é uma certeza”, dirigida aos efectivos das FAA e do Ministério do Interior reconheceu que o país continua a ser invadido por imigrantes ilegais oriundos de várias latitudes de África e do mundo.

Destacou os cidadãos do oeste africanos e da República Democrática do Congo.

Informo que diariamente esses cidadãos violam as fronteiras marítima, fluvial e terrestre, para se infiltrarem no território nacional.

Sublinhou que, apesar dos esforços do Executivo, o fenómeno ganha corpo a cada dia que passa, dada a complexidade geográfica da fronteira que delimita Angola com os países vizinhos.

Para si, o crescimento económico registado por Angola nos últimos 14 anos tem sido o factor de atracção dos imigrantes ilegais.

Garantiu, por isso, dedicação dos efectivos e outros órgãos de defesa e segurança para estancar as infracções que ocorrem ao longo das fronteiras terrestre, fluvial e marítima.

A Marinha de Guerra de Angola, um dos ramos das Forças Armadas Angolanas (FAA), foi criada em 10 de Julho de 1976, com a incumbência de defender as águas territoriais do país e combater todas as infracções afins. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA