Turquia acredita que Mossul não pode ser libertada sem ela

(AP Photo/ Khalid Mohammed)

A Turquia não pode ignorar os acontecimentos no Iraque e pretende participar da operação de libertação da cidade de Mossul, dominada pelos terroristas do Daesh (grupo proibido na Rússia), declarou o presidente turco.

Recep Tayyip Erdogan fez tal declaração no âmbito do Congresso Internacional de Direito, que está sendo realizado em Istambul.

O líder turco, mais uma vez, sublinhou que os inspectores militares do seu país não deixarão Bashiqa – cidade iraquiana localizada no norte do Iraque, onde eles estão treinando a milícia local para participarem de operações contra o Daesh. Os treinamentos, segundo Erdogan, serão prorrogados.

O jornalista e especialista político, Metehan Demir, em entrevista à Sputnik Turquia, comentou a posição turca com relação aos acontecimentos em Mossul.

Segundo o especialista, Ankara está avaliando a vantagem política de participação da libertação da cidade iraquiana. O lado turco quer participar, de forma plena, das operações militares no Iraque, acrescentou.

“Qualquer passo militar e combate armado estão interligados à política. A Turquia, claramente, reforça sua vontade de participar [da operação], levando em consideração seus interesses políticos. Além de seus recursos energéticos e localização estratégica, Mossul possui grande importância histórica para a Turquia, tornando-se claro o porquê de Ankara estar, de forma activa, querendo ocupar uma posição na disposição das forças iraquianas”, disse.

Demir ressalta que ninguém de verdade está interessado no destino dos civis iraquianos, argumentando que o próprio exército iraquiano, em junho de 2014, fugiu dos terroristas do Daesh “sem olhar para trás”.

“O alvo principal do Ocidente, das forças da colizgação e de outros jogadores nesta operação não é libertar cidadãos de Mossul do caos dos jihadistas, retornando a estabilidade para eles, mas sim garantir o seu lugar no equilíbrio das forças regionais”, sublinhou o entrevistado.

É exactamente este equilíbrio das forças que tem valor inestimado para os diferentes jogadores.

Ao mesmo tempo, qualquer presença militar turca no Iraque sempre provoca intensificação da conversa sobre “o desejo turco de se tornar Império, realizando seu sonho no Oriente Médio”.

Actualmente, a atenção está focada no que está acontecendo em Bashiqa. Mesmo assim, o especialista adverte sobre a presença extensiva da Turquia no Iraque. Em particular, há outras cinco bases militares turcas no Iraque e três pontos de comunicação.

“A Turquia está presente no território iraquiano desde 1992, já há 25 anos”, sublinhou.

A propósito, a presença militar das tropas turcas no Iraque é maior do que na Síria. Então, por que não foi combatido o Daesh assim que o grupo dominou a cidade em junho de 2014? (Sputnik)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA