Taça de Portugal: Famalicão-Sporting, 0-1

(Mais Futebol)

Um leão de serviços mínimos e com muitas mexidas no onze vestiu o fato de macaco em Famalicão para inscrever o nome do Sporting como primeira equipa apurada para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal. Lazar Markovic, aos dez minutos, fez o único golo do encontro, de forma algo trapalhona, num espelho fiel do que foi o jogo no municipal famalicense.

Depois do empate em Guimarães (3-3), os leões regressam o Minho, ainda feridos no seu orgulho. Em vésperas da deslocação ao Westfalenstadion, para defrontar o Borussia Dortmund em jogo da Liga dos Campeões, o embate com o Famalicão surgiu de forma cirúrgica na agenda leonina com os compromissos da seleções a contribuírem também para as mexidas de Jorge Jesus na equipa.

Beto estreou-se na baliza, Douglas fez os primeiros minutos no eixo da defesa, assim como Paulo Oliveira que se estreou-se esta época. No meio campo Petrovic foi titular pela primeira vez, depois de ter feito apenas três minutos na Champions e André voltou a ser chamado no ataque depois ter marcado ao Estoril.

Famalicão-Sporting, 0-1

O Sporting marcou cedo, Markovic precisou apenas de dez minutos para abanar as redes voltando a faturar depois de já o ter feito em Guimarães, mas a vantagem dos leões foi construída contra a corrente do jogo e de forma inglória para o Famalicão.

Mesmo tendo perdido o treinador há dois dias e estando na cauda da tabela do segundo escalão, os famalicenses mostraram muita crença e puseram os leões à prova, obrigando mesmo Beto a fazer intervenções apertadas no primeiro tempo. Faltava critério no ataque ao Famalicão, Markovic tratou de impor o maior estatuto do leão, que antes de marcar já tinha enviado uma bola ao ferro.

Elias serviu companheiro já no interior da área contando com um desvio adversário, de forma pouco ortodoxa Markovic rematou de primeira, já em queda, e fez dessa forma o golo que valeu ao conjunto de Jorge Jesus a passagem à próxima eliminatória.

Famalicão-Sporting, os destaques

Tentou responder a equipa da casa, mas o que sobrava em atitude e pujança física faltou em serenidade para chegar em melhores condições ao ataque. Feliz e Diogo Cunha bem tentaram, mas faltou pragmatismo aos famalicenses. O Sporting, em velocidade de cruzeiro, limitou-se a gerir as incidências do jogo, sem grande conexão entre setores, mas com organização suficiente para evitar sofrer golos, mesmo tenso passado por calafrios.

A instantes do final do encontro Correia cabeceou por cima da baliza de Beto e chegou mesmo a gritar-se golos, mas foi apenas ilusão de ótica. Sem uma exibição e encher olho, muito pelo contrário, a deslocação a Famalicão valeu essencialmente pelo objetivo alcançado, uma vez que o Sporting foi pouco mais do que competente.

O Sporting já está na quarta eliminatória, como lhe competia, mas sem muito para saborear do triunfo sobre o Famalicão e sem tempo a perder. Segue-se o Borussia Dortmund num jogo importantíssimo para as pretensões leoninas nas competições europeias. (Mais Futebol)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA