Sondagem dá vitória a Hillary Clinton no último debate

Hillary Clinton e Donald Trump no último debate televisivo antes das eleições presidenciais. (Paul J. Richards / AFP)

Uma sondagem da CNN deu Hillary Clinton como vencedora do último debate televisivo que a opôs a Donald Trump. O candidato republicano recusou dizer se vai aceitar o resultado das eleições presidenciais de 8 de Novembro nos Estados Unidos, em caso de derrota.

Segundo uma sondagem da CNN, realizada no final do debate desta noite, 52% dos inquiridos atribuem a vitória neste terceiro e último confronto televisivo à democrata Hillary Clinton, contra 39% que preferiram a prestação do republicano Donald Trump.

Metade dos inquiridos considerou que Clinton pode gerir melhor a economia, contra 48% que acreditam mais em Trump. Por outro lado, 49% defenderam que o magnata nova-iorquino pode administrar melhor a pasta da imigração.

De acordo com a agência France Presse, as sondagens, de um modo geral, apontam para uma distanciação entre os candidatos. Clinton recolhe mais de 45% das intenções de voto, contra 39% para Donald Trump.

Os principais temas do debate

O debate arrancou de novo sem um aperto de mão entre os candidatos. Mais preparado que nos encontros anteriores, Donald Trump multiplicou os apelos à base conservadora com os temas da imigração e do porte de armas.

O republicano insistiu na construção de um muro que separe os Estados Unidos do México, alegando que há alguns “maus hombres” no país que devem ser enviados para a sua terra. Hillary Clinton respondeu que o plano de deportações forçadas de milhões de imigrantes vai dilacerar famílias.

Depois, Trump defendeu a Segunda Emenda constitucional, que protege o direito ao porte de armas, e alertou que esta “não sobreviverá” se Clinton chegar ao poder. A democrata manifestou o “respeito” pela Segunda Emenda mas pediu mais “regulação”.

O republicano voltou a deixar no ar a possibilidade de não aceitar o resultado das eleições de 8 de Novembro, em caso de derrota. Trump disse simplesmente que irá decidir “na altura” e voltou a fazer acusações de que as presidenciais estão manipuladas a favor da rival, dizendo que há “milhões de pessoas registadas para votar que não deveriam estar”. A candidata democrata contra-atacou, disse estar “chocada” e acusou-o de “denegrir” a democracia norte-americana com as contínuas insinuações de que as eleições estão manipuladas.

As hostilidades continuaram. Clinton afirmou ainda que o presidente russo, Vladimir Putin, quer “uma marioneta” como Donald Trump na Casa Branca. Trump acusou a democrata de ter incitado as mulheres que o têm vindo a acusar de agressões sexuais.

Na economia, Trump prometeu criar uma “máquina económica” como não se vê “há décadas” que provoque um crescimento anual de cinco ou seis por cento no país. Clinton retorquiu que o rival quer é baixar os impostos dos mais ricos. (Rfi)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA