Sétima edição do Prémio Odebrecht para o desenvolvimento sustentável

(Foto: D.R.)

A Odebrecht Angola tem abertas inscrições, até 30 de Abril de 2017, para a 7ª Edição do Prémio Odebrecht para o Desenvolvimento sustentável.

A iniciativa visa “estimular os estudantes universitários a participarem na busca de soluções técnicas, responsáveis e inovadoras, para os principais temas ambientais da actualidade”.

Segundo a construtora brasileira, os estudantes interessados podem concorrer acedendo ao site www.premioodebrecht.com/angola.

A nota enviada à nossa redacção esclarece que “cada projecto vencedor receberá o Prémio no valor total de 5.100.000,00 Kz, sendo 1.700.000,00 Kz para o estudante ou grupo de estudantes autores do trabalho, 1.700.000,00 Kz para o professor orientador e 1.700.000,00 kz para a universidade à qual estiverem vinculados os vencedores.

Adicionalmente, os estudantes dos grupos vencedores serão eventualmente indicados para possíveis oportunidades de estágio na Odebrecht Angola”.

“Os trabalhos podem ser apresentados individualmente ou em grupos de 3 estudantes, sendo que pelo menos um dos participantes do grupo deverá ser, obrigatoriamente, estudante nos cursos de Engenharia (qualquer das engenharias), Arquitectura ou Agronomia e devem ser orientados por um professor que esteja igualmente vinculado aos cursos de Engenharia, Arquitectura ou Agronomia”.

A sexta edição, referente ao ano de 2015 teve como vencedora a estudante Rosângela  Bernardo Francisco, da Universidade Jean Piaget de Angola, autora da tese sobre o “Aproveitamento do lixo e Dejectos para a produção de Biofertilizante”.

A autora defendeu no seu estudo que o lixo gerado pelas fábricas e populações nos grandes aglomerados populacionais constitui matéria prima para a produção de biofertilizante, útil para a agricultura, dispensando a sua acumulação nos aterros sanitários.

Por sua vez os concorrentes Fernandes Malau e Daniel Domingos, da Universidade Agostinho Neto, desenvolveram um estudo que permite a utilização de resíduos alimentares para a produção de energia eléctrica, através de um processo de bioconversão a partir do metano. A técnica consiste no seguinte: Bactérias anaeróbias são as principais responsáveis pelo processo de bioconversão, o processo de converter estes resíduos alimentares em biogás no interior de um biodigestor. Na geração de eletricidade a partir do metano, ocorre a conversão da energia química do gás em energia mecânica por meio de um processo controlado de combustão; essa energia mecânica ativa um gerador que produz energia elétrica. Este trabalho tem por objetivo analisar as bactérias que participam na formação de Metano e aspectos técnicos, econômicos relacionados com a geração de eletricidade. Foram analisadas 200 amostras de resíduos alimentares no Laboratório da Bromangol S.A.. Verificou-se que os resíduos estudados possuem um potencial microbiológico satisfatório para produção de biogás e o custos para produção de eletricidade varia entre 350 mil à 3 milhões de Kwanzas.

Contactos:

Érica Cardoso Carvalho

Telefone – 222 673 031 / 938 327 550

Correio electrónico: [email protected] (portaldeangola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA