Samsung suspende temporariamente produção do Note 7

(Reuters)

A tecnológica sul-coreana interrompeu temporariamente a produção do Galaxy Note 7. A decisão foi tomada depois de algumas empresas terem suspendido a venda destes equipamentos da Samsung.

A crise que a Samsung tem enfrentado devido ao Galaxy Note 7 conhece um novo capítulo. A tecnológica sul-coreana suspendeu temporariamente a produção do smartphone Galaxy Note 7, de acordo com uma fonte da Bloomberg, que pediu para não ser identificada uma vez que a empresa ainda não tornou pública esta decisão.

Ainda assim, esta tomada de posição da Samsung tem lugar depois da T-Mobile US e da Telstra terem suspendido a venda destes equipamentos. Há várias semanas que foi noticiado que baterias de alguns dos Note 7 incendiavam-se quando estavam a carregar.

A 2 de Setembro, a Samsung emitiu um comunicado oficial a admitir o problema e a confirmar a suspensão das vendas do equipamento. Segundo a tecnológica, naquela altura “foram reportados 35 casos a nível global e estamos actualmente a proceder a uma inspecção completa para identificar possíveis baterias afectadas”.

A notícia da explosão de vários equipamentos deste segmento levou a que várias transportadoras aéreas proibissem o uso deste smartphone a bordo dos seus aviões.

Bryan Ma, vice-presidente da área de pesquisa sobre equipamentos da IDC, disse à Bloomberg que o caso dos Note 7 é “um pesadelo contínuo”. “Era de esperar que eles pudessem já ter ultrapassado isto e seguido em frente”, disse ainda.

A Bloomberg escreve que a suspensão da produção deste equipamento levanta algumas questões sobre a investigação inicial realizada pela Samsung. A empresa asiática tinha avançado que o problema estava relacionado com um fornecedor que entretanto tinham parado de usar.

“Investiram tanto neste produto que supostamente era o produto que iria ajudar a empresa a dar a volta”, disse Bryan Ma. Na última sexta-feira, 7 de Outubro, foi conhecido que Samsung fechou o terceiro trimestre do ano com crescimento dos lucros operacionais, apesar de um recuo nas vendas.

De acordo com o Financial Times, a gigante sul-coreana revela que os dados preliminares apontam para um aumento de 5,6% dos lucros operacionais no terceiro trimestre para 7,8 biliões de won coreanos (6,31 mil milhões de euros) relativamente ao período homólogo, apesar de estimarem uma queda de 5,2% nas receitas.

Em meados de Setembro surgiram notícias que indicavam que, no início deste ano, a empresa sul-coreana ouviu rumores que o iPhone que a Apple iria apresentar em 2016 não continha inovações de cortar a respiração. Pelo contrário. O dispositivo da empresa da maçã iria ser semelhante aos dois modelos anteriores. E aos ouvidos da liderança da Samsung isto surgiu como uma oportunidade. A sul-coreana decidiu assim acelerar o lançamento do novo smartphone, considerando que este dispositivo iria deslumbrar os consumidores e poderia capitalizar a oportunidade, contaram fontes à Bloomberg.

As acções da Samsung no mercado sul-coreano estão a recuar 1,52% para 1.680,000 won sul-coreanos. (Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA