Professores prolongam greve na Guiné-Bissau

(AP)

Eles exigem a aprovação do estatuto da carreira docente e o pagamento de salários em atraso, entre outras medidas.

Os professores da Guiné-Bissau prolongaram por mais duas semanas a greve iniciada a 26 de Setembro, depois do fracasso das negociações com o Governo.

O anúncio foi feito pelo Sindicato Nacional dos Professores (SINAPROF) e pelo Sindicato Democrático dos Professores (SINDEPROF).

Os docentes continuam a exigir a aprovação do estatuto da carreira e o pagamento de salários em atraso.

Com esta greve, o início do ano lectivo pode estar comprometido na Guiné-Bissau. (Voa)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA