Presidente exonera direcção do BCP

Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos (Foto: Francisco Miúdo)

O Presidente José Eduardo dos Santos exonerou por decreto o conselho de administração do Banco de Poupança e Crédito, uma das maiores instituições bancárias de Angola.

Com a crise provocada pela queda dos preços do petróleo e com eleições gerais agendadas para Agosto de 2017, depois de ter demitido vários ministros e secretários de estado, o Presidente José Eduardo dos Santos demitiu recentemente por decreto a totalidade do conselho de administração do Banco de Poupança e Crédito – BCP – até agora dirigido por Paixão Júnior e que está em processo de reestruturação, devido a cerca de 1.2 mil milhões de dólares de crédito vencido.

Para substitui-lo foi nomeada Cristina Florência dias Van-Dúnen, que até Maio passado foi vice-governadora do Banco Nacional de Angola e que tem a ambição de reestruturar o banco, tendo em conta os novos desafios de Angola no sector financeiro.

Foi nomeada uma nova comissão executiva para o BPC, que passa a ser presidida por Zinho Baptista Manuel.

De acordo com a agência portuguesa de notícias Lusa, já a 15 de Setembro um outro decreto presidencial dava conta que o Estado angolano iria emitir mais de 1.2 mil em dívida, a favor da sociedade pública RECREDT – Gestão de Activos, participada a 100% pelo Ministério das Finanças e criada para gerir alguns activos financeiros do banco estatal BPC.

A Lusa refere ainda que o Ministério das Finanças anunciou há um ano o apoio do Banco Africano de Desenvolvimento na reestruturação do BPC, através de uma linha de crédito destinada a financiar o plano de desenvolvimento deste banco e o alargamento da sua carteira de empréstimos para 716 milhões de euros nos próximos 5 a 7 anos.

O activo total do BPC está avaliado 7.560 mil milhões de euros.

O BPC tem mais de 5.200 trabalhadores e 400 agências em Angola com um total de clientes superior a 2.2 milhoes, mas os seus resultados líquidos desceram de 0,7% de 2014 para 2015, o equivalente a 44.7 milhões de euros, sendo a totalidade do crédito vencido até finais do ano passado de 1.180 mil milhões de euros.

Angola tem inicio de Setembro um novo ministro das finanças: Augusto Archer de Sousa Mangueira até então presidente da Comissão dos Mercados de Capitais de Angola, substituiu Armando Manuel, no cargo desde 2013. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA