Portugal quer formar professores angolanos à distância

Projeto «One Laptop per Child» (OLPC)

Angola quer reforçar cooperação na área da Educação, sobretudo a formação de professores de português e em vários níveis de escolaridade, atendendo ao crescimento demográfico do país e ao aumento do nível de escolarização das crianças.

O Governo português está a estudar avançar com um programa de formação à distância de professores angolanos, país que necessita de 45.000 profissionais, que poderá ainda ser alargado a outros países de língua portuguesa.

A informação foi transmitida esta quarta-feira, na capital angolana, pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro, depois de se reunir com o ministro da Educação de Angola, Pinda Simão, e de visitar a Escola Portuguesa de Luanda, a comemorar 30 anos.

De acordo com a governante portuguesa, as prioridades para Angola em termos de reforço da cooperação na área da Educação visam sobretudo a formação de professores, de português e em vários níveis de escolaridade, atendendo ao crescimento demográfico do país e ao aumento do nível de escolarização das crianças.

Vamos pensar numa abordagem, que também já estamos a equacionar com outros países de língua portuguesa, e que é a formação à distância de professores, que poderá ser um auxiliar precioso, não apenas porque chega a mais gente com menos recursos envolvidos e porque, segundo nos disse o senhor ministro da Educação, as necessidades de professorado em Angola são estimadas em cerca de 45.000. Temos de ser expeditos e criativos, aproveitando as novas tecnologias”, disse Teresa Ribeiro.

A secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação garantiu que Portugal “tudo fará” para apoiar o Governo angolano neste processo de formação, envolvendo nomeadamente o Ministério da Educação e o Instituto Camões.

Por iniciativa das autoridades portuguesas, já decorre desde 2009, desenvolvido numa parceria com o Ministério da Educação de Angola, o programa “Saber Mais”, que atua na área da formação de formadores de professores do 2.º ciclo do Ensino Secundário angolano. (Tvi24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA