Parlamento debate esta quinta-feira as demolições nas ilhas-barreira Ria Formosa

(Luís Forra/LUSA)

O parlamento vai debater esta quinta-feira as demolições previstas para as ilhas-barreira da Ria Formosa, no Algarve, com PEV, BE e PCP a defenderem ou o seu fim ou a suspensão e o PS a pedir o realojamento prévio dos afetados.

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), o Bloco de Esquerda (BE) e o Partido Comunista Português (PCP) apresentaram projetos de resolução distintos que visam acabar ou suspender o processo de demolições de construções iniciado pelo anterior Governo do PSD e do CDS-PP na Ria Formosa, no Algarve, e que foi reformulado pelo atual executivo do PS.

Quanto ao grupo parlamentar socialista, não pede o fim das demolições no seu projeto de resolução, mas recomenda ao Governo que nenhuma primeira habitação ou casa de pescadores, viveiristas ou mariscadores, no ativo ou reformado, seja demolida sem estar assegurado o realojamento e que este processo seja feito com uma “avaliação, caso a caso, ouvindo as associações representativas das populações”.

O projeto de resolução do PEV será o primeiro a ser debatido e exorta o Governo a “suspender de imediato o processo de demolições nas ilhas barreira da Ria Formosa” e a “criar um processo de consulta pública, que permita às comunidades locais e a todos os interessados aceder a toda a informação” e “envolver-se na tomada de decisão”.

Segue-se o projeto apresentado pelo BE, que recomenda ao Governo a “imediata suspensão de novas demolições, o diálogo com as populações e o reconhecimento do valor económico, social e cultural dos núcleos populacionais das ilhas-barreira da Ria Formosa”, por considerar que a “proteção, conservação e valorização da Ria Formosa é compatível com uma ocupação humana regulada e responsável”.

O do PCP é o terceiro na agenda do parlamento e recomenda ao executivo o “fim do processo de demolições nas ilhas-barreira da Ria Formosa”, o “reconhecimento” do valor social, económico e cultural dos núcleos urbanos da área protegida algarvia, o diálogo com as comunidades locais, a “requalificação” de todos os núcleos urbanos e dos espaços balneares, o levantamento de fontes de poluição da Ria Formosa e a adoção de medidas para as eliminar.

O projeto de resolução do PS é o último a ser debatido e prevê que nenhuma primeira habitação, casa de pescador, viveirista ou mariscador, no ativo ou reformado, seja demolida, sem estar garantido o respetivo realojamento, num processo de avaliação, caso a caso, ouvindo as associações representativas das populações”.

Os quatro projetos de resolução vão ser debatidos durante a tarde desta quinta-feira e estão incluídos no sexto ponto da ordem do dia da sessão plenária da Assembleia da República, que tem início marcado para as 15h00 e inclui outras matérias como o financiamento de partidos políticos ou a permanência e expulsão de estrangeiros de Portugal. (Observador)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA