Oficial da PN realça conhecimento científico para solução de problemas

Director do Gabinete de Estudos, Informação e Análise (GEIA) da Polícia Nacional, comissário José Carlos Cunha Piedade (Foto: Gaspar dos Santos)

O director do Gabinete de Estudos, Informação e Análise (GEIA) da Polícia Nacional, comissário José Carlos Cunha Piedade, considerou nesta sexta-feira, em Luanda, fulcral a produção do conhecimento científico que se deve traduzir em soluções para os complexos problemas da actualidade no domínio das ciências policiais.

A alta patente falava na abertura das II jornadas científicas, promovidas pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC) e cooperação cubana, em representação do comandante-geral da corporação, comissário-geral Ambrósio de Lemos.

Declarou que a variedade dos trabalhos de caris científico vai permitir identificar os principais problemas no âmbito do processo docente-educativo, no sentido de aquilatar as performances académias dos docentes e dos métodos de ensino.

Com efeito, disse ser necessário promover o intercâmbio de experiências entre os docentes assessores da República de Cuba e os do instituto de ciências policiais no sentido de se consolidar a prática pedagógica, tendo em vista a melhoria da qualidade da formação académica na instituição castrense.

Segundo o oficial comissário, as jornadas realizam-se num momento em que o instituto superior de ensino policial lançou já os primeiros quadros licenciados, “sendo bastante oportuno a promoção dessas jornadas com um pendor iminentemente metodológico”.

As jornadas, que decorrem no Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais, visam promover o intercâmbio de experiências no trabalho docente metodológico entre os professores da cooperação cubana e angolanos, bem como responsáveis do ensino policial sobre as práticas pedagógicas.

O Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais foi criado à luz do Decreto Presidencial número 09/2012, de 20 de Janeiro, com a missão de formar oficiais de polícia, habilitando-os ao exercício das distintas responsabilidades profissionais, bem como promover e ministrar cursos de actualização, capacitação e especialização em diversas matérias de actuação policial.

Participam nas jornadas, membros do conselho consultivo da instituição, representantes da cooperação cubana em Angola junto do Ministério do Interior, docentes, cadetes, entre outros convidados. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA