MPLA: Comunicado pelo falecimento da Camarada Catarina Neto, guerrilheira do MPLA e dirigente da OMA, durante a luta de Libertação Nacional de Angola

Sede Nacional do MPLA (MPLA)

MPLA

SECRETARIADO DO BUREAU POLÍTICO DO COMITÉ CENTRAL

COMUNICADO

PELO FALECIMENTO DA CAMARADA CATARINA NETO,

GUERRILHEIRA DO MPLA E DIRIGENTE DA OMA,

DURANTE A LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL DE ANGOLA

O Secretariado do Bureau Político do Comité Central do MPLA cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento da camarada CATARINA FRANCISCO DOMINGOS ESCÓRCIO NETO, guerrilheira do MPLA e dirigente da OMA, durante o período da Luta de Libertação Nacional de Angola, ocorrido quarta-feira, dia 19 de Outubro de 2016, em Luanda, por doença.

A camarada CATARINA NETO, que contava 87 anos de idade, ingressou nas fileiras do MPLA em 1961, na cidade de Kinshasa, República Democrática do Congo, tendo sido uma das impulsionadoras da organização da 1ª Região Político-Militar, que teve um papel determinante no combate às forças coloniais portuguesas.

Co-fundadora, em 1958, do movimento Kudibanguela, que, em 1962, deu lugar à Organização de Pioneiros Angolanos (OPA) e personagem do histórico filme Sambizanga, ao lado de Domingos Xavier “Yayá” e de Joaquina de Andrade, a camarada CATARINA NETO foi uma das militantes que, em 1964, acompanhou a Direcção do MPLA para Brazzaville, depois da sua expulsão de Kinshasa, pelas então autoridades congolesas.

Pelo infausto acontecimento, o Secretariado do Bureau Político do Comité Central do MPLA inclina-se perante a memória desta combatente pela independência nacional de Angola e, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do Partido, endereça à família enlutada e à OMA as suas mais sentidas condolências.

MPLA – COM O POVO, RUMO À VITÓRIA

PAZ, TRABALHO E LIBERDADE

A LUTA CONTINUA

A VITÓRIA É CERTA.

Luanda, 24 de Outubro de 2016.

O SECRETARIADO DO BUREAU POLÍTICO DO COMITÉ CENTRAL DO MPLA.

Camarada Catarina Neto (MPLA)
Camarada Catarina Neto (MPLA)

(nota de imprensa enviada à redacção do Portal de Angola com pedido de publicação)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA