Ministro da Juventude considera registo eleitoral acto de consolidação da democracia e da paz

Ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição (Angop)

O acto de registo eleitoral e consequente emissão do cartão de leitor constitui-se numa acção para consolidação da democracia e da paz no país, advogou hoje, sexta-feira, em Luanda, o ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição.

Segundo o governante, que falava durante a cerimónia de início formal da fase de emissão do cartão de eleitor para quem se regista pela primeira vez ou o tenha extraviado, é necessário o empenho e responsabilidade de todos para que o processo continue a decorrer com normalidade, tranquilidade, lisura e transparência.

“ A partir de hoje, todos os cidadãos maiores de 18 anos de idade que ainda não se tenham registado são chamados a cumprir esse importante dever de cidadania, bem como os cidadãos que o tenham extraviado são chamado a fazer a sua prova de vida e solicitar a emissão do novo cartão”, disse.

O ministro exorta a mobilização dos cidadãos de Cabinda ao Cunene e sobretudo a juventude, para que mostre a sua força e o amor a pátria, considerando que essa é uma das imagens de marca da juventude angolana. “Já assim o foi quando tivemos que vencer o medo, abrir o peito e dar a vida, para termos um país livre do colonialismo ou quando tivemos que defender a integridade do nosso território e alcançar a paz e outras conquistas”, enfatizou.

Na mesma senda, disse que a juventude angolana esteve sempre presente e à altura dos desafios da história, quando o país precisou dela, sob liderança do Presidente da República.

Por isso, Albino da Conceição disse acreditar que a juventude não vai decepcionar em mais uma chamado da Nação, inspirados nos exemplos passados de bravura, e vai se dirigir em massa às brigadas de registo para cumprir com esse dever cívico.

Aconselhou os jovens a acorrerem aos postos de registo eleitoral paulatinamente de forma ordeira e organizada, evitando-se as usuais enchentes registadas nos últimos dias.

“O registo eleitoral é e não exclui ninguém, todos são chamados a participar activamente no processo, porque Angola é de todos os angolanos e precisa de todos”, concluiu.

Estiveram presentes no acto, a vice governadora de Luanda para esfera política e social, Juvelina Imperial, o Secretário de Estado para os Assuntos Eleitorais do Ministério da Administração do Território, Adão de Almeida, o administrador municipal de Viana, Jeremias Dumbo, dentre outras individualidades e convidados. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA