Malanje: Província promove mesa redonda sobre produção de algodão

Norberto dos Santos "Kwata Kanawa" - governador de Malanje (Foto: Angop)

Uma mesa redonda para debater o relançamento da produção de algodão na região da Baixa de Cassanje, província de Malanje, no quadro da diversificação da economia do país, será aberta na segunda-feira, 3, no município do Quela.

O evento, cujos preparativos estão a cargo do governador provincial, Norberto dos Santos “kwata Kanawa”, visa traçar estratégias para o relançamento da produção do algodão, no quadro da diversificação da economia e consequente melhoria das condições de vida dos cidadãos.

Mais de 100 empresários entre angolanos, estrangeiros e especialistas em técnicas de cultivo de algodão e camponeses locais, farão parte do encontro, que visa ainda colher contribuições para dar maior sustentabilidade e posterior estudo de viabilidade para a implementação do projecto na região da Baixa de Cassanje.

O município do Quela, localidade afecta à região da Baixa de Cassanje, até então um dos celeiros da produção de algodão de Malanje e do país, conta já com mais de 250 mil hectares de terras identificadas para o cultivo do produto.

O governo provincial de Malanje prevê produzir algodão em grande escala na Baixa de Cassanje, de modo a dar resposta às dificuldades económicas que o país enfrenta e contribuir de forma ampla no seu desenvolvimento sustentável.

Além da região da Baixa de Cassanje, outros municípios serão igualmente motivados a produzir e comercializar algodão às empresas interessadas, sendo o Cacuso um dos que já produz esse produto em pequena escala.

Com isto, justifica o trabalho contínuo do governo de Malanje na identificação das áreas de cultivo e a criação de condições para o relançamento do produto, segundo especialistas na matéria.

O encontro será testemunhado pelos ministros angolanos da Economia, Abraão Pio dos Santos Gourgel, da Agricultura, Marcos Alexandre Nhunga, e a enviada especial da primeira-ministra Britânica, baronesa Lindsay Northover.

Farão igualmente parte especialistas brasileiros que irão se debruçar sobre o mercado internacional de algodão e a experiência do Brasil, o 5º maior produtor desta cultura no mundo. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA