Lar Kuzola vence torneio de futsal

(DR)

A equipa do Lar Kuzola sagrou-se campeã do torneio de futsal “Caçulinhas”, organizado pelo BNI, ao vencer o seu oponente por expressivos 10-2, o que constitui uma goleada à moda antiga.

O evento de cariz social aconteceu no Sábado, 22 de Outubro, na Escola Portuguesa de Luanda e teve a participação de duas equipas, sendo que uma é formada pelos filhos dos colaboradores da instituição bancária e a outra pelos meninos de um dos mais antigos lares de acolhimentos de crianças desfavorecidas. A prova teve como finalidade demonstrar a importância que se atribui às gerações mais novas, unindo forças entre os filhos de colaboradores e crianças institucionalizadas do Lar Kuzola.

Para além do futebol que foi a maior atração deste evento, os petizes foram ainda brindados com outras actividades lúdicas. A equipa vencida recebeu medalhas de participação e às crianças do Lar Kuzola, o grande vencedor do torneio, que visa saudar os 10 anos do BNI, coube erguer a taça de vencedor.

Morais Tomé, de 12 anos de idade, uma das crianças à guarda do Lar Kuzola, desde tenra idade, diz estar “muito feliz com esta actividade” e agradece a oportunidade que o BNI lhe deu de realizar o sonho de jogar num campo de verdade. “Só gostava que actividades como esta fossem realizadas mais vezes” acrescentou o menino.

O representante do BNI, Bruno Inglês, que fez a entrega do prémio ao grande vencedor, afirma ser “fundamental este tipo de actividades de interacção entre as crianças. Apesar das dificuldades com que os jovens, de uma forma geral, vivem o desporto, isto serve para os unir e permitir que continuem a sonhar com um futuro risonho”.

O torneio “Caçulinhas” integra-se nas actividades que o BNI está promover, integradas no plano anual de acções de Responsabilidade Social, no sentido de sensibilizar a sociedade em geral para a importância da igualdade de oportunidades das gerações mais novas.

(nota de imprensa enviada à redacção do Portal de Angola com pedido de publicação)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA