Itália: Governador de Luanda defende crescimento sustentável

Governador de Luanda defende crescimento sustentável (Foto: Cedida a Angop)

O governador de Luanda, Higino Carneiro, defendeu o crescimento sustentável e a diversificação da economia como forma de aumentar o rendimento das famílias.

Higino Carneiro defendeu essa posição na sua contribuição ao debate da II Cimeira dos Presidentes de Câmara, signatários do Pacto de Milão sobre Políticas Alimentares Urbanas (MUFPP) que decorreu de 13 a 14 deste mês em Roma.

Acrescentou que a província de Luanda está comprometida em implementar políticas estratégicas para o desenvolvimento de sistemas alimentares duradouros e funcionais, sustentados na premissa da erradicação da fome como um direito humano.

“Ao pertencermos o Pacto de Milão, elevamos o escopo do nosso conhecimento e empenho para que possamos incorporar neste sistema todos os elementos como pessoas, processos, ambiente, infra-estruturas, instituições privadas e o Estado através das boas práticas de governança ao nível local”, explicou o também presidente da Cidade de Luanda.

Referiu que, com o pacto, a cidade de Luanda terá a oportunidade de partilhar conhecimentos das melhores práticas em todas as actividades relacionadas com a produção, processamento, distribuição, preparação e consumo de alimentos nos grandes centros urbanos.

Nesse âmbito, elencou, na sua comunicação, a agricultura, pecuária, silvicultura e pescas como sectores estratégicos prioritários do Plano Director Geral Metropolitano de Luanda.

Explicou que, ao nível da Segurança Alimentar e Nutricional, estão em curso programas de combate à pobreza, estratégia de desenvolvimento rural, sobre as florestas, fauna selvagem e áreas protegidas, política comercial, política nacional da saúde, lei das águas e a lei do investimento privado.

Higino Carneiro informou que se projecta um elevado crescimento económico para Luanda na ordem dos 6,5 porcento ao ano, que será suportado por uma diferente estrutura sectorial, esperando-se que o sector de serviços represente 50% do PIP e a indústria 49% (22% dos quais não pertence à industria petrolífera).

No seu entender, tal alteração terá enorme impacto na criação de oportunidades de emprego como, por exemplo, na agricultura que contribuirá, em Luanda, somente com um por cento do PIB e será responsável por 11 porcento do emprego.

Manifestando o orgulho de Luanda pertencer ao Pacto de Milão assinado a 15 de Outubro de 2015, por ocasião da Expo Milão 2015 com o lema “alimentar o planeta, energia para a vida”, Higino Carneiro avançou que cálculos estimam que Luanda, em 2030, terá aproximadamente 13 milhões de residentes, 58 porcento dos quais em idade activa e 48 porcento jovens.

“Por si só, tais números representam um enorme desafio em termos de desenvolvimento de sistemas alimentares sustentáveis”, disse ao concluir.

Higino Carneiro foi convidado pelo Director-Geral da FAO, José Graziano da Silva, e pelo Prefeito da Cidade de Milão, Giuseppe Sala, na qualidade de Governador da Província de Luanda para participar na Cimeira dos Presidentes de Câmara, signatários do Pacto de Milão sobre Políticas Alimentares Urbanas (MUFPP, na sigla em inglês).

Na Cimeira participam os presidentes das Câmaras dos municípios, incluindo Luanda, que assinaram o Pacto de Milão sobre Políticas Alimentares Urbanas (MUFPP), num total de 123 cidades do mundo, durante a realização da EXPO Milão 2015.

O fórum foi inaugurado pelo Director-Geral da FAO, José Graziano da Silva, e está inserido nas comemorações da Jornada Mundial da Alimentação, que se assinala dia 16 de Outubro.

Na quinta-feira (13), o governador de Luanda participou num Seminário do MUFPP, que abordou, entre outros temas, a “Criação de um quadro de acompanhamento do Pacto de Milão sobre as Políticas Alimentares Urbanas”.

A reunião abordou ainda a “Criação de um quadro de acompanhamento do Pacto de Milão sobre as Políticas Alimentares Urbanas”, “Advocacia e reunião de parceiros: o que as cidades solicitam às redes”.

A próxima cimeira terá lugar em 2017 na cidade de Valência, em Espanha.

Parte da delegação encabeçada pela vice-presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda, Josina da Costa Martins, trabalhou na sexta-feira na cidade de Milão, onde abordou com as autoridades locais assuntos ligados à gestão de resíduos sólidos urbanos, boas práticas em gestão de eventos globais, gestão electrónica e mobilidade urbana. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA