Huíla: Maternidade “Irene Neto” apela à doação de sangue

Huíla: Maternidade central do Lubango "Irene Neto" (Foto: Morais Silva)

O centro de hemoterapia da maternidade central do Lubango “Irene Neto” está sem sangue e a sua direcção multiplica os apelos para mobilizar dadores, pois pela sua especificidade, é uma situação que se afigura grave.

O apelo foi quarta-feira pela directora-clínica da maternidade, Fátima Afonso, que disse que o centro está há um mês sem o referido produto, o que tem dificultado o trabalho de transfusão, obrigando os pacientes a recorrer aos familiares.

Fátima Afonso fez saber que a unidade hospitalar realiza diariamente uma média de 60 partos e, destes, mais de 20 são em cesariana, processo que carece de uma transfusão a posterior.

Para acudir alguns casos que merecem maior atenção, a directora-clínica do hospital adiantou que a direcção socorre-se também ao centro de hemoterapia do hospital central do Lubango.

Para ela, o hospital não tem um grupo de dadores regulares e as doações são asseguradas por familiares de pacientes em regime de SOS, e de organizações como a JMPLA, voluntários do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros e jovens afectos a instituições religiosas.

Frisou que centro de hemoterapia do hospital materno infantil tem capacidade para armazenar mais de 400 litros de sangue/dia.

A maternidade do Lubango com uma capacidade de 150 camas. Os choques hemorrágicos são as principais causas de morte e de necessidade de transfusões sanguíneas. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA