Hoje é Dia Internacional de Controlador de Tráfego Aéreo

(DR)

Os controladores de Tráfego Aéreo assinalam hoje (quinta-feira), 20 de Outubro, o seu dia.

Precisamente foi nesse mesmo dia (20 de Outubro de 1960) que se realizou o primeiro encontro mundial de controladores de voo, na Grécia.

Nesse mesmo evento, houve a criação da Federação Internacional de Controladores do Tráfego Aéreo (IFATCA, em inglês, International Federation of Air Traffic Controllers Associations).

Regulamentação da actividade de controlador de tráfego aéreo:

Aos países signatários da Convenção de Chicago (também conhecida como Convenção sobre Aviação Civil Internacional), a actuação do controlador de tráfego aéreo é reconhecida como profissão.

Complexidade:

Esta actividade torna-se cada vez mais complexa devido ao crescente número de aeronaves que cruzam o espaço aéreo e ao surgimento de aeronaves cada vez mais modernas e rápidas, as quais voam conjuntamente com outras mais antigas e lentas. Os controladores de tráfego aéreo necessitam de diversas habilidades para exercer, de maneira eficiente, o seu trabalho.

Os controladores de tráfego aéreo são aqueles que permanecem em torres de controle, existentes em todos os aeroportos. Eles são responsáveis pela emissão de autorização de descolagens e aterrisagens das aeronaves, por isso, entram em contacto com os pilotos.

Assim, o controlador de tráfego aéreo é a pessoa que organiza e monitora o tráfego de aeronaves no espaço aéreo pertinente, para que não haja choques entre aeronaves.

É de responsabilidade também dar suporte para os pilotos em caso de problemas no voo. O profissional deve possuir alguns requisitos para actuar como controlador de tráfego aéreo: concentração, responsabilidade, controle emocional, raciocínio rápido, bem como capacidade de actuar em variados turnos e rápida capacidade de adaptação de mudanças operacionais.

Para se tornar controlador de tráfego aéreo é necessário adquirir conhecimento, dentre outras, nas seguintes áreas:
Meteorologia, navegação aérea, geografia (relevo e acidentes geográficos da região), língua inglesa, reconhecimento e desempenho de aeronaves, normas de tráfego aéreo.

Responsabilidade:

O controlador de tráfego aéreo possui enorme grau de responsabilidade. Uma falha pode significar a perda simultânea de centenas de vidas. Dentre os serviços prestados pelo controlador às aeronaves, o serviço de Vetoração Radar é o que confere ao controlador o maior nível de responsabilidade.

No acto da prestação deste serviço, o controlador literalmente assume a navegação da aeronave transmitindo instruções de velocidade, proa e altitudes a serem executadas pelo piloto. Além da segurança dos passageiros e tripulantes, a actuação do controlador, seja adequada ou inadequada, pode significar, respectivamente, economia ou prejuízo para as companhias aéreas e para a aviação geral.

O avião deixou de ser um transporte somente de pessoas a passeio e transformou-se no mais importante meio de transporte. Sabe-se hoje que as crises do sector aéreo podem afectar a vida política, comercial e social de um país.

Áreas de Actuação:

Diferentemente de outros profissionais, o controlador de tráfego aéreo não pode ser facilmente alocado de uma área de trabalho para outra. Para isso são necessários meses de treinamento e adaptação a fim de obter o nível adequado de operacionalidade na nova localidade. A actividade é tão complexa que é dividida em cinco áreas: Centro de Controle de Área; Controle de Aproximação; Torre de Controle; Busca e Salvamento; e Defesa Aérea.

Mesmo após formado, o controlador que for transferido de uma aérea para outra ou de uma localidade para outra dentro da mesma área de actuação precisa passar por meses de estágio operacional a fim de tornar-se capaz de realizar o serviço. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA