Estabilidade política nos Grandes Lagos domina encontro de Chefes de Estado

Edifício do Centro de Conferências Talatona, em Luanda (Foto: Francisco Miúdo)

Informações actualizadas sobre a situação política nas Repúblicas do Burundi, Sudão do Sul, Democrática do Congo e Centro-Africana vão dominar a 7ª reunião de Alto Nível do Mecanismo de Supervisão Regional do acordo-quadro para a Paz, Segurança e Cooperação para a República do Congo e a Região dos Grandes Lagos, nesta quarta-feira, em Luanda.

De acordo com o programa oficial a que a Angop teve acesso hoje, terça-feira, o encontro decorrerá a portas fechadas, sob orientação do Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, na qualidade de presidente da CIRGL.

A reunião reserva a apresentação do relatório de balanço sobre a implementação do acordo-quadro para a paz, segurança e cooperação na República Democrática do Congo e na região.

A sessão de abertura será marcada pelas intervenções do enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Região dos Grandes Lagos, Said Djinnit, do rei III Mswati do Reino da Suazilândia, nas vestes de presidente em exercício da SADC, do Chefe de Estado do Tchad e presidente em exercício da União Africana, Idriss Deby.

O discurso do Presidente José Eduardo dos Santos vai dominar a abertura da 7ª reunião de Alto Nível do Mecanismo de Supervisão Regional do Acordo para a Paz, Segurança e Cooperação para a RDC e a região dos Grandes Lagos.

O encontro é uma iniciativa da presidência angolana na Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), em cooperação com a União Africana (UA), a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e a Organização da Nações Unidas (ONU), foi antecedido de uma outra, preparatória a nível de ministros das Relações Exteriores dos países membros deste órgão regional da África Central.

A África do Sul tem marcado presença nas reuniões da CIRGL ao mais alto nível na pessoa do seu Presidente Jacob Zuma, que já se encontra na capital angolana desde a noite de segunda-feira.

No final do evento, que termina no início da tarde de quarta-feira, o ministro angolano das Relações Exteriores fará a leitura do comunicado final do encontro dos líderes da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos.

A CIRGL é constituída por Angola, Burundi, Zâmbia, República Democrática do Congo (RDC), República Centro-Africana (RCA), República do Congo, Quénia, Uganda, Rwanda, Sudão do Sul, Sudão e Tanzânia.

A organização regional, onde Angola depois de ter cumprido um primeiro mandato (2014-2015) recebeu o voto de confiança para mais um, foi criada em 1994, após conflitos que se registarem na região, que provocou a perda de milhares de vidas humanas.

A República de Angola mantém o princípio em privilegiar a prevenção e a resolução de conflitos para manter a paz e a segurança internacional, especialmente em África, assolada por inúmeras crises políticas. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA