Cuanza Norte: Inaugurada segunda fase do Centro de Larvicultura do Mucoso

Cuanza Norte: Ministra das Pescas, Victória de Barros inaugura segunda fase do centro de larvicultura do Mucoso (Foto: Eliseu Veloso)

A segunda fase do Centro de Larvicultura da Tilápia do Mucoso, comuna de Massangano, município de Cambambe, província do Cuanza Norte, foi inaugurada quinta-feira, pela ministra das Pescas, Vitoria de Barros Neto.

A segunda fase da infra-estrutura, localizada a cinco quilómetros do Dondo, com capacidade de produção de 340 toneladas de larvas/ano, da espécie tilápia (cacusso), contemplou a construção de 18 tangues com 450 metros cúbicos cada e dois armazéns, numa área de 10 hectares, avaliado em quatro milhões de dólares americanos.

O empreendimento equipado com tecnologia de ponta, possui ainda, entre outras dependências, áreas administrativas, laboratório, de reprodução de larvas, aluminagem, reversão sexual e de conservação de cardumes em fase de adaptação.

Uma fábrica de ração com capacidade de produção de 1, 8 toneladas em 8 horas, uma unidade de tratamento de águas residuais e residência para quadros fazem igualmente parte do projecto, cujo funcionamento é assegurado por 19 técnicos assessorados por especialistas cubanos.

O empreendimento, cuja primeira fase foi inaugurada em Março de 2015, é um projecto implementado pelo Ministério das Pescas no âmbito do programa de fomento da aquicultura (criação de peixes em reservatórios) tem como principal objectivo a produção intensiva de alvinos para o fomento da piscicultura no país.

As larvas produzidas são distribuídas aos agricultores e cidadãos interessados em investir no domínio da aquicultura ou produção de pescado com sistemas artificiais, através da criação de pequenas represas.

Na ocasião, o director do centro, Evaristo Lourenço, assegurou que na primeira fase do projecto foram produzidos dois milhões de alevinos para comercialização e apoio a projectos de fomento da actividade aquícola. Presentemente estão em criação mais de 500 mil alevinos.

Por seu turno, a ministra das Pescas, Victoria de Barros Neto, referiu que a entrada em funcionamento da segunda fase do centro vai aumentar a produção da tilápia, reduzir a sua importação e até criar excedentes para exportação.

Salientou que o fomento da aquicultura, a potenciação do viveiro empresarial, o reforço da segurança alimentar e a criação de mais postos de trabalho, mormente para jovens, constam dos desafios do Plano Nacional estratégico de desenvolvimento da aquicultura em curso no país.

Esclareceu que para o cumprimento das metas preconizadas no Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, que prevê a captura de 60 mil toneladas de pescados, através da aquicultura, será necessário desenvolver uma estratégia produtiva que conta com o envolvimento directo do sector privado e estimular o desenvolvimento do auto-emprego.

Considerou que o seu pelouro está a estimular a actividade aquícola, visto existirem nas 18 províncias iniciativas estatais, privadas e familiares do género, tendo, porém, manifestado preocupação com a inexistência de fábricas de ração de peixe no país.

“Mas estamos a trabalhar para estimular o empresariado com vista a enveredarem nesta indústria no sentido de instalarem aqui e no resto do país fábricas de ração de peixe, produção de milho, soja entre outros”, concluiu.

Testemunharam o acto de inauguração o governador do Cuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, as ministras da Indústria e da Ciência e Tecnologia, Bernarda Martins e Cândida Teixeira, respectivamente, além de membros do governo da província e da administração municipal de Cambambe. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA