Coréon Dú, Lípsia e Fundação Lwini distinguidos internacionalmente

Cantorra Lípsia, nos Estados Unidos da América, na Gala de Consagração do (Foto: Moises da Silva)

Os artistas angolanos Coréon Dú e Lípsia, bem como a Fundação Lwini (instituição angolana de beneficência e caridade) foram distinguidos, este final de semana (dia 22), em New Jersey, nos Estados Unidos da América, durante a gala “African Entertainment Awards USA”.

O concurso, que premeia feitos de africanos dentro e fora do continente, consagrou Coréon Dú como Melhor Artista Masculino e Lípsia como Melhor Novo Talento, enquanto a Fundação Lwini arrebatou o Prémio Comunitário, em virtude do trabalho filantrópico que tem feito no país.

De acordo com uma nota da coordenação do evento para África, nesta segunda edição do AEA USA concorreram também os cantores Anna Joyce, na categoria de melhor artista feminina do ano, Master Jack (melhor artista masculino), Anselmo Ralph e Badoxa (melhor artista masculino da lusofonia).

De igual modo, Yola Semedo, Nsoki e Pérola na classe de melhor artista feminina da lusofonia, Jay Oliver (melhor artista), os Moicanos (melhor grupo de dança), Daniel Mendes (melhor promotor de música) e o concurso Angola Music Award – AMA (melhor gala de premiação).

Nascido em Luanda, a 28 de Setembro de 1984, José Eduardo Paulino dos Santos “Coréon Dú” é cantor, director criativo, modista e produtor angolano, autor dos álbuns “The Coréon Dú Experiment” (2011), “The We Du” (2013) e “Binário” (2015), além de vários projectos cinematográficos.

Já a cantora Lípsia (de 24 anos de idade) é considerada uma das vozes promissoras da actualidade, capaz de interpretar em diferentes estilos e línguas, daí ser tida pela crítica nacional como a cantora sensação deste ano. Estudou música na Rússia, mas despertou interesse pelos palcos aos três anos de idade.

Enquanto isso, a Fundação Lwini é uma instituição de solidariedade social que tem por objecto o angariamento de fundos e a execução de acções de apoio a vítimas civis de minas terrestres. Foi criado a 30 de Junho de 1998, constituindo uma pessoa colectiva de direito privado sem fins lucrativos e de interesse geral, dotada de personalidade jurídica.

O African Entertaiment Award é uma organização nos Estados Unidos da América que resolveu organizar uma gala para premiar os africanos que se destacam pelo mundo, desde a música, entretenimento, desporto e trabalhos comunitários, indica o documento a que a Angop teve hoje acesso.

Traduz-se igualmente num concurso que acontece todos anos em Outubro naquele país da América do Norte. Diferente deste ano, em que Angola concorreu em 14 categorias, a primeira edição contou com a participação do Dj Darcy, que venceu o prémio de melhor colaboração. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA