Catar anuncia pela 1ª vez a morte de um operário nas obras da Copa de 2022

(Afp)

Os organizadores da Copa do Mundo do Catar-2022 anunciaram neste domingo, pela primeira vez, a morte de um operário nas obras de um estádio após um acidente de trabalho.

“Com grande pesar, anunciamos uma morte vinculada ao trabalho em uma de nossas obras, após um incidente no estádio de Al-Wakrah na manhã de sábado”, afirma um comunicado divulgado pelo comité de organização da do Mundial.

“Uma investigação foi iniciada para determinar os factores que provocaram a morte de um de nossos funcionários”, completa a nota.

O comunicado não identifica o trabalhador nem apresenta detalhes sobre as causas do incidente.

O Catar recebe muitas críticas pelo tratamento aos trabalhadores estrangeiros.

A questão das mortes de trabalhadores migrantes nas obras de construção dos estádios provoca muitas polémicas.

Os críticos do Catar afirmam que 1.200 trabalhadores já faleceram nas obras e que até 4.000 podem morrer até o Mundial, números rebatidos pelo país.

Quase 1,6 milhão de migrantes trabalham no Catar, mais de 85% da população ativa, de acordo com dados de 2015 do governo.

O número de trabalhadores em obras de construção relacionadas com a Copa do Mundo pode alcançar 36.000 em 2018.

Em Fevereiro, o comité informou que seis operários foram vítimas de acidentes de trabalho nas obras da Copa, mas que não forma registadas mortes.

Em maio, o governo anunciou uma investigação sobre a morte de um indiano no estádio de Al-Bayt, mas o comité organizador afirmou que o óbito não estava relacionado com a actividade de trabalho. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA