Bornito de Sousa apela confiança em torno do registo eleitoral

Ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa (Foto: António Escrivão)

O ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, admitiu que a desconfiança da oposição em relação a transparência do registo eleitoral, decorre de factores históricos, e defendeu a necessidade de um diálogo entre os actores do processo, para afastar o fantasma da fraude.

O governante exprimiu este ponto de vista nesta quinta-feira, em Luanda, durante o habitual encontro com os jornalistas, no âmbito do projecto “MATabicho”, que visa a troca de impressões e esclarecer dúvidas sobre matérias da alçada do Ministério da Administração do Território (MAT), particularmente do registo eleitoral.

Para amenizar a situação e criar um clima de confiança, Bornito de Sousa advogou a necessidade de diálogo entre as formações políticas da oposição, o partido no poder e os órgãos do Estado, no sentido de aferir sobre as denúncias que são feitas sobre algumas irregularidades do processo.

Segundo o ministro, a conduta que os partidos políticos da oposição parlamentar têm estado a manifestar recorrentemente, visa passar a ideia de que a actividade que o MAT realiza em torno do registo eleitoral é ilícita e viciada de práticas susceptíveis de fraude eleitoral em benefício do partido no poder.

Reafirmou que a tarefa que o MAT desenvolve em torno do registo eleitoral em curso desde o dia 25 de Agosto de 2016, está dentro dos marcos estabelecidos pela Constituição em vigor na República de Angola, e garantiu a certeza da transparência na condução do processo.

Neste sentido, desdramatizou o pessimismo que tem sido manifestado por alguns políticos em relação a cifra de eleitores preconizada, assegurando que o processo recorre sem constrangimentos e será possível atingir a meta de 11 milhões de eleitores até 31 de Março de 2017.

Para tal, disse ser da competência de toda a sociedade estimular os cidadãos que vão se cadastrar pela primeira vez, para que acorreram aos postos de registo, lembrando que a fase de registo de novos eleitores e da emissão da segunda via de cartão iniciará no dia 28 de Outubro do ano em curso.

No encontro com a imprensa, o ministro declarou que fruto do trabalho que tem sido desenvolvido no âmbito do registo eleitoral que já vai no segundo mês, o MAT atingiu, no dia 13 de Outubro, dois milhões e meio de cidadãos que já actualizaram os seus dados e fizeram a prova de vida.

A cifra de eleitores prevista pelos órgãos reitores do processo que levará o país às quartas eleições, em 2017, é de 11 milhões, sendo nove milhões e meio dos que já votaram anteriormente, e um milhão e 500 mil de novos eleitores. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA