Biagio-Indústria produz um milhão de produtos auxiliares para indústrias

aumenta produção a fabrica Biagio-Indústria (Foto: Pedro Parente/arquivo)

Com uma capacidade instalada na ordem de dois milhões e oitocentos mil quilos por ano, para a produção de auxiliares tecnológicos para as indústrias de padaria, pastelaria e geladaria, a BIAGIO- Indústria tem neste momento uma produção estimada de um milhão e duzentos mil quilos/ano.

Localizada no município de Cacuaco, num parque industrial de 30 mil metros quadrados, a BIAGIO produz mais de 120 produtos diferentes, distribuídos por várias categorias, que respondem às necessidades muito distintas do mercado profissional e doméstico.

Trata-se de melhorantes para o pão (para fabrico em ambiente informal ou para grandes industrias com linhas automáticas), pré-mixes e mixes para o fabrico de pães especiais (de sementes e escuros), mixes para pão de ló, massas cake, queijadas, cremes pasteleiros, géis, açúcares especiais e sobremesas.

O processo tecnológico de produção utilizado pela unidade industrial em Angola, está ao nível do que de melhor se faz no mundo, muito inspirado nas industrias europeias que são líderes nesta área tecnológica, referiu à Angop, o director geral, Gonçalo Ferreira.

Na elaboração dos produtos, a unidade industrial utiliza soluções enzimáticas, bem como as restantes famílias de matérias-primas com critérios qualitativos e de performance, baseadas em bons padrões de qualidade.

A unidade industrial integra cerca de 80% do volume de matérias-primas de compra e produção angolana (açúcar, ovos, farinha e cereais), e cria um valor adicionado em de cerca de 78%.

Estimamos uma dimensão total do mercado angolano em cerca de três milhões e quinhentos mil quilos, e face a esta previsão de dimensão, a empresa tem nesta fase capacidade de produção de cerca de 80% das necessidades, disse.

Entretanto, sublinhou que a capacidade de produção instalada da Biagio apenas está condicionada pela dificuldade nos pagamentos ao exterior que permitem a importação de cerca de 20% do volume de matéria prima necessária para a produção, refere o responsável.

Investimentos e pagamentos ao exterior

Para concretizar este ambicioso projecto a empresa fez um investimento contínuo com fundos próprios de cerca de trezentos milhões de kwanzas (três milhões de dólares).

Com os pagamentos ao estrangeiro em espera a rondarem cerca de seiscentos mil dólares, a unidade industrial recebeu recentemente a aprovação do Banco Nacional de Angola de pagamentos ao exterior.

A aprovação permitiu maior agilidade na importação de matérias-primas em falta para, no curto prazo, retomar o fluxo de produção que permita o regular abastecimento do mercado angolano.

Com esta atribuição de divisas, a empresa garantiu a importação de matéria-prima para cerca de três meses de produção.

Entretanto, no curto prazo, a Biagio estará novamente dependente de nova saída de divisas que garantam a produção nos meses subsequentes, referiu.

Comercialização e exportação

Segundo o responsável, neste momento a Biagio tem uma rede de distribuição de produtos que cobre de forma integral todo o país.

Os mercados do Congo Brazzaville, da República Democrática do Congo e Namíbia, são países onde o desenvolvimento comercial se dará através da distribuição indirecta baseada na produção efectuada em Luanda, disse.

Assim que a situação das divisas possibilitarem a compra mais regular das matérias-primas importadas a empresa irá iniciar o processo de exportação para estes mercados, sublinhou.

Projectos em carteira e dificuldades

Esta unidade iniciou recentemente a segunda fase do seu projecto industrial com a produção de uma gama de produtos prontos a usar na indústria de pastelaria e restauração. Trata-se de pastas e cremes para recheios e cobertura, de base de fruta, açúcar, cacau e aromatizados que permitem uma utilização mais rápida e segura pelos clientes.

A linha doméstica para o consumidor final é um outro projecto em preparação na Biagio que será lançado no mercado angolano ainda no decorrer do terceiro trimestre de 2016. Trata-se de uma extensa gama de sobremesas em pó de fácil e rápida preparação.

Actualmente a Biagio está a edificar uma área de formação técnica onde vai desenvolver a “Academia Biagio”. O espaço estará dotado dos equipamentos necessários para a produção num ambiente de padaria, pastelaria, geladaria e restauração, áreas para as quais a Biagio produz soluções.

A academia, disse, terá como principal objectivo desenvolver planos de melhoria de competências técnicas utilizando os produtos produzidos pela unidade industrial. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA