Bengo: Ministro realça criação de indústrias de defesa nacional

Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço. (Foto: ANGOP)

A implantação de indústrias de defesa e a auto produção alimentar das tropas é um objectivo a alcançar, revelou domingo, no Ambriz, província do Bengo, o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço.

De acordo com o governante, que falava no acto comemorativo do 25º aniversário das Forças Armadas Angolanas, em tempo de paz as FAA não têm de ser necessariamente ociosas e muito menos improdutivas.

O ministro disse que a defesa nacional tem um custo elevado para qualquer país e, neste contexto, quanto maior capacidade a indústria nacional tiver em produzir mais e satisfazer as necessidades fundamentais em viveres, vestuário e outros bens, melhor será para equipar de forma cabal a tropa.

Afirmou, por outro lado, que nos tempos que correm, as ameaças à segurança nacional são cada vez mais imprevisíveis, pelo que as FAA devem estar aptas para o seu emprego imediato, capazes de desencorajar qualquer intenção de agressão militar ao país, assim como apoiar os demais órgãos do sistema de segurança na sua acção contra catástrofes e calamidades naturais.

Sublinhou que as FAA devem estar prontas para combater o terrorismo, a imigração ilegal e os crimes transfronteiriços que assumiram hoje uma dimensão internacional, juntamente com os demais órgãos de defesa e segurança nacional.

Frisou que não obstante os constrangimentos causados pela crise financeira, o Executivo angolano tudo fará para garantir o êxito do programa de reequipamento e modernização das FAA, bem como o rejuvenescimento dos seus efectivos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA