Angola reitera determinação na promoção da cooperação multilateral

Ângela Bragança, secretária de Estado para Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (Mirex) (Foto: Joaquina Bento)

Angola reitera a determinação de trabalhar com a ONU, a fim de promover a cooperação multilateral para aumentar a disponibilidade de oportunidades, recursos e condições face aos desafios económicos e sociais, especialmente os ligados à diversificação económica.

Esta afirmação é da secretária de Estado para a Cooperação, Ângela Bragança, quando discursava hoje, terça-feira, no acto alusivo ao 71º aniversário da criação da Organização das Nações Unidas, que se assinala a 24 de Outubro.

De acordo com a responsável, esta cooperação visa levar a cabo acções viradas à erradicação da pobreza e da fome, à promoção dos direitos humanos, ao empoderamento da mulher e à mitigação dos efeitos nefastos causados pelas mudanças climáticas.

Ângela Bragança reafirmou, na ocasião, o compromisso de Angola para com os desafios da Organização das Nações Unidas e, neste contexto de continuar a trabalhar com as suas agências, em particular aquelas que operam no território nacional e para implementação da Nova Agenda Mundial 2030 e os objectivos de desenvolvimento sustentável.

Referiu que Angola vai continuar a trabalhar em estreita colaboração com as Nações Unidas e outros parceiros relevantes, no esforço para se encontrarem soluções pacíficas para os conflitos que ameaçam a paz, estabilidade e retardam o desenvolvimento multidimensional das nações.

A secretária de Estado para a Cooperação sublinhou que o compromisso de Angola com o sistema das Nações Unidas tem sido reforçado com a contínua presença e participação tangível nos trabalhos da organização, contribuindo significativamente para o cumprimento dos propósitos consagrados na Carta.

Apontou que no período 2015/16, Angola continuou a ocupar posições e a desempenhar tarefas nos órgãos dos sistemas das Nações Unidas, para os quais foi eleito, nomeadamente no Conselho Executivo do Unicef, do UN-Habitat e PAM.

Destacou igualmente a presidência rotativa do Conselho de Segurança das Nações Unidas no mês de Março, na qual propos como temas para os debates abertos a manutenção da paz e segurança internacional; A prevenção e resolução de conflitos na Região dos Grandes Lagos; Mulheres, paz e segurança; O papel das mulheres na prevenção de resolução de conflitos em África.

Referiu que estes temas reflectem a preocupação da República de Angola para com os grandes desafios que se colocam à humanidade, num mundo cada vez mais conturbado, sob a ameaça da guerra, tensões e conflitos regionais, assim como a sua forma de estar no mundo pelo diálogo, pelo respeito da soberania dos estados pela paz cooperação e desenvolvimento. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA