Analistas: Angola ofuscou a actividade doméstica fraca do BPI

(Foto: D.R.)

Os resultados do BPI superaram as estimativas dos analistas. Contudo, o destaque vai para Angola que conseguiu ofuscar a actividade doméstica fraca.

O BPI obteve lucros de 182,9 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano. O valor corresponde a um aumento de 21% em relação aos 151 milhões de euros registados no mesmo período do ano passado. A libertação de provisões ajudou.

Os resultados apresentados pelo BPI ficaram “42% acima da estimativa” média dos analistas e “37% acima da nossa previsão de 56 milhões de euros para o trimestre”, salienta o analista Carlos Cobo do Haitong. O que justificou esta diferença de resultados face à estimativa foram “provisões e imparidades significativamente mais baixas do que o esperado”.

Excluindo as provisões e imparidades “os resultados ficaram em linha com as nossas estimativas para o terceiro trimestre”, com os resultados a estarem 3% abaixo da previsão, o que é anulado por uma queda de 5% dos custos.

O analista do Haitong salienta, como positivo, o facto de o banco liderado por Fernando Ulrich ter chegado a Setembro com um rácio de capital CET 1 ‘fully implemented’ de 11,0%.

Por unidades de negócio, a actividade doméstica superou as estimativas, contudo esta diferença foi justificada pela quase ausência de provisões e imparidades, o que faz com que o Haitong desvalorize o facto de os números terem superado as estimativas. Excluindo as provisões, os lucros da actividade em Portugal “ficaram abaixo das estimativas com fracos números na maior parte das rubricas”.

Já a actividade internacional superou em 75% as previsões, com os resultados antes de provisões a serem melhores do que o esperado, sublinha o Haitong.

A nota de análise do Haitong intitula-se mesmo “capital e Angola ofuscam uma tendência fraca da actividade doméstica”.

“Temos uma leitura inicial positiva face ao desempenho significativo da margem financeira, que ficou acima das nossas estimativas (com destaque para Angola), à estabilização da base de custos recorrentes do banco e à melhoria da qualidade de activos, num contexto de descida muito acentuada do custo de risco de crédito (imparidades na conta de resultados) e de um rácio de capital CET 1 ‘fully implemented’ de 11,0%”, realça o analista do CaixaBI André Rodrigues.

“Ainda assim, e como destacado na nota de ‘preview’ de resultados, é nosso entendimento que este conjunto de resultados não deverá ser um ‘driver’ relevante para o comportamento futuro das acções do banco em mercado”, sublinha.

As acções do BPI estão a subir 0,09% para 1,131 euros, tendo chegado a ganhar 0,27% para 1,133 euros. Contudo, a oscilação das acções estará condicionada pelo valor da contrapartida oferecida pelo CaixaBank que é de 1,134 euros. (jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA