Secretário executivo nacional da CASA-CE é eleito quinta-feira

Porta-voz do II Congresso da CASA-CE, Lindo Bernardo Tito (Foto: Rosário dos Santos)

O Conselho Deliberativo Nacional (CDN) da coligação eleitoral CASA-CE, eleito hoje, em Luanda, no seguimento do II Congresso Ordinário da organização, vai realizar a sua primeira sessão nesta quinta-feira, para eleger o secretário executivo nacional e o seu adjunto.

Segundo o porta-voz do conclave, Lindo Bernardo Tito, o órgão vai eleger igualmente o Conselho Presidencial, bem como os membros da comissão de Auditoria e Disciplina da CASA-CE.

O segundo e último dia do congresso que decorreu sob o lema “Uma Angola para todos”, foi marcado pelo empossmento de Abel Chivukuvuku, reconduzido terça-feira ao cargo de presidente da CASA-CE, com 646 votos dos 874 delegados, contra 53 e seis dos seus aniversários Carlos Pinho e João Calupeteca, respectivamente.

Domingo Inácio Francisco Viana procedeu ao empossamento do presidente Abel Chivukuvuku, que jurou fidelidade à causa da CASA-CE e da Pátria angolana, respeitando e fazendo cumprir a Constituição da República de Angola, as leis e o estatuto da organização.

Em termos de balanço, Lindo Bernardo Tito considerou que o evento foi um espaço de reflexão política e troca de impressões, além do convívio entre os congressistas, que tomaram decisões importantes para a vida da CASA-CE, com a aprovação de um novo estatuto que vai reger o seu funcionamento.

Valorizou igualmente a aprovação da estratégia eleitoral e das linhas orientadoras para a elaboração do programa de governo, na perspectiva dos desafios eleitorais em 2017.

Segundo o responsável, a transformação da CASA-CE em partido político, uma decisão que vinha sendo discutida desde 2012, a partir das bases, foi um dos ganhos do congresso, apesar da discordância de um dos integrantes da coligação.

A propósito, referiu que o debate na comissão foi profundo e primou pelo contraditório, tendo prevalecido o sentido de serviço à Pátria, manifestado pela maioria dos delegados de que a CASA-CE deve se transformar em partido político para melhor servir Angola e os angolanos.

Fundada a 5 de Janeiro de 2012, a CASA-CE é uma coligação formada pelos partidos Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Pacífico Angolano (PPA), e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA). (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA