Sarkozy opõe estado forte ao estado de direito de Hollande

Nicolas Sarkozy, candidato às primárias das presidenciais de 2017 em França, defende estado forte (REUTERS/Philippe Laurenson TPX IMAGES OF THE DAY)

O chefe da oposição, Nicolas Sarkozy, candidato às primárias das presidenciais de 2017, respondeu, quinta-feira à noite, ao discurso de um estado de direito democrático, do Presidente, Hollande, defendendo um estado que garanta segurança aos franceses.

O antigo presidente francês, Nicolas Sarkozy, que discursava, esta quinta-feira à noite, em Vendôme, no centro da França, no quadro das primárias às presidenciais de 2017, defendeu um Estado forte que dê garantias de segurança aos franceses, em vez do estado de direito democrático, defendido horas antes, pelo presidente, François Hollande.

O chefe de estado francês, François Hollande, tinha feito, quinta-feira de manhã, 9 de setembro, um discurso sobre democracia e terrorismo, reafirmando o seu apego ao Estado de direito e ao lugar dos muçulmanos na sociedade francesa, naquilo que foi visto como uma entrada em força em pré-campanha às presidenciais.

“A democracia será mais forte que a bárbarie que declarou guerra à França e a única via para combater o terrorismo é aquela do Estado de direito”, sublinhou, o presidente François Hollande.

Nicolas Sarkozy, candidato às primárias da direita, não perdeu a oportunidade para responder ao presidente francês, discursando frente aos seus apoiantes e militantes do partido os Republicanos, sublinhando que nunca será um “presidente da impotência”.

“A democracia não tem direito à fraqueza, nós somos a França, não podemos aceitar a impotência.”

“François Hollande afirma que a sua prioridade é o Estado direito, mas eu, a minha prioridade, é segurança dos franceses; eu quero ser o presidente da República que protegerá os franceses e que defenderá a França”. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA