Renan e Maia deram golpe na Lava Jato: e Lula obstruiu justiça: tudo em 24hs..

Lula, em uma foto de junho deste ano. (YASUYOSHI CHIBA AFP)

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comunicou, durante a sessão plenária desta terça-feira o arquivamento de dois pedidos de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. As petições foram apresentadas pelos juristas Celso Antônio Bandeira de Mello e Cláudio Fonteles com apoio de outros juristas.

A Petição 11/2016 alega que Mendes ofendeu os princípios de impessoalidade e celeridade processual no julgamento de processos no Supremo. Já a 12/2016 argumenta que o ministro cometeu “atos incompatíveis” com a honra e o decoro no exercício de suas funções.

Bola dentro de Renan.

Mas, em seguida, mostrou sua face golpista.

Outra: alvo de futuro próximo da Operação Lava Jato, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira (20) que os investigadores do esquema de corrupção têm de separar o “joio do trigo” e precisam “acabar com o exibicionismo”.

Em entrevista ao chegar ao Senado pela manhã, o peemedebista reclamou ainda que os procuradores da República responsáveis pela operação têm de fazer denúncias “consistentes”.

Frase de Renan:

— A Lava Jato é muito importante e nada vai detê-la, mas precisa acabar com esse exibicionismo e esse processo de exposição das pessoas sem culpa formada. A nossa Constituição não convive bem com isso. É preciso fazer denúncias e investigar, mas com começo meio e fim. Que sejam denúncias consistentes e não mobilização política, porque o país perde com isso e as instituições também

Segundo Renan, a Lava Jato é um “avanço civilizatório”, mas tem a responsabilidade de separar o joio do trigo. Caso isso não aconteça, o Ministério Público perde prestígio, e o Congresso fica obrigado a pensar numa legislação que proteja as garantias individuais e coletivas:

— Qualquer projeto que garanta mecanismo para investigar a corrupção e proteja as garantias individuais e coletivas deve ser levado a cabo. O que não pode é, a pretexto de se investigar, alguém promova exibicionismo. A sociedade apoia a Lava Jato. Não há hipótese de nenhuma influência e quem disser o contrário está mentindo. Mas a Lava Jato tem sim a responsabilidade de separar o joio do trigo. Não pode nivelar todos sob uma acusação genérica

Enquanto isso, Renan se articulou por fora com Rodrigo Maia

O projeto de lei PL 1210/2007, de autoria do deputado Regis de Oliveira (PSC-SP), foi protocolado no dia 31 de maio de 2007 e trata sobre financiamentos público de campanhas eleitorais alterando leis eleitorais e a Lei de Partido Políticos.

A emenda ao PL 1210/2007 foi a grande surpresa desta segunda-feira. O texto, que não foi tornado público, daria anistia a políticos acusados de receber propina em caixa 2 – como alguns escaralhados na Lava Jato….

Nesta terça também, no evento chamado ‘Stand with Lula’ (‘Apoie Lula’, em português), o ex-presidente Lula reafirmou sua indignação com a “parcialidade” de “algumas pessoas do Ministério Público e da Polícia Federal” na denúncia apresentada e aceita pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela condução dos processos no âmbito da Operação Lava Jato. Lula disse também que tudo gira em torno do “medo” de que ele seja candidato a presidente da República em 2018, e que o objetivo da denúncia é inviabilizá-lo na possível disputa.

“O que está acontecendo no Brasil não me abala. Apenas me motiva a andar muito mais, a falar muito mais, a gritar muito mais. ‘Ah, o problema é o Lula não voltar em 2018’. O problema é esse? Poderiam me perguntar se eu queria voltar em 2018. A verdade é essa. Eles sabem que embora eu não tenha diploma universitário, eu sei fazer mais do que eles. E tem uma coisa que eu sei fazer, que é sentir o coração do povo pobre, do povo trabalhador”.

Veja a íntegra:

Lula pode ser preso por isso, sim: sua coletiva é obstrução de justiça…

Coisa que Lula já fez.

Lembremos: no dia 30 de julho passado, o juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, aceitou denúncia apresentada pelo Ministério Público e transformou em réus o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), o ex-chefe de gabinete de Delcídio Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Édson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Burlai.

Foi a primeira vez que Lula vira réu na Lava Jato. Por meio de nota, os advogados do ex-presidente da República afirmaram que ele já esclareceu, em depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR), que “jamais interferiu ou tentou interferir em depoimentos relativos à Lava Jato”. (Yahoo)

por Claudio Tognolli

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA