Polícia Nacional abre inquérito para apurar causas de morte de detido na sexta esquadra

Inspector-chefe Mateus Rodriguês (Arquivo) (Foto: Henri Celso)

Um inquérito para se apurar as circunstâncias da morte de um homem que se encontrava detido na sexta esquadra, no Comando de Divisão do distrito urbano do Rangel, em Luanda, foi aberto, na segunda-feira, pelo comando provincial da Polícia Nacional.

O director do departamento institucional e imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior, Mateus de Lemos Rodrigues, disse hoje, à Angop, que alegadamente o detido terá sido espancado no dia um do corrente mês, por agentes da esquadra.

Mateus de Lemos Rodrigues disse que para o efeito estão já detidos cinco suspeitos de envolvimento no acto, entre agentes da Polícia de Ordem Publica e do Serviço Provincial de Investigação Criminal (SIPC).

Diante da situação, prosseguiu o oficial, o comandante provincial e delegado do Ministério do Interior em Luanda ordenaram a abertura de um inquérito e também a instauração de um processo investigativos para averiguar o que ocorreu de facto.

“ Depois da realização da autópsia, surgiram fortes suspeitas de que terá ocorrido agressão física com objectos contundentes, e indicio da não observância das normas básicas da corporação em vigor. Foram emitidos mandados de captura e encontram-se já detidos os suspeitos”, sublinhou.

A vítima identificada por José Padrão, de 40 anos de idade, foi detido no dia 31 de Agosto no bairro do Zango, no município de Viana, sob acusação de pertencer a uma rede de meliantes que protagonizava roubos diversos.

Por este facto, a delegação provincial do Ministério do Interior e do comando da PN endereça a família enlutada os mais profundos sentimentos de pesar com garantia de que tudo será feito para apurar os factos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA