PGF atenta com novos métodos de contrabando de combustível para RDC

Distintivo da Polícia de Guarda Fronteira (Foto: Lino Guimarães)

O comandante da 2ª Unidade da Polícia de Guarda Fronteira (PGF) no município do Soyo, Zaire, superintendente José Fernandes, assegurou hoje, segunda-feira, que os efectivos da corporação estão atentos com os novos métodos introduzidos por contrabandistas de combustível para a RDC.

Em declarações à Angop, o comandante informou que presentemente os contrabandistas utilizam métodos mais sofisticados para transportar de forma ilícita o combustível para a vizinha República Democrática do Congo (RDC) onde é comercializado.

Explicou que para tentarem ludibriar os efectivos da corporação destacados em diversos pontos fronteiriços da região estes (contrabandistas) colocam recipientes carregados de combustível por debaixo de mercadorias diversas, com realce para materiais de construção civil.

“Apesar da insuficiência de meios técnicos e humanos conseguimos de contrapor os novos métodos introduzidos por contrabandistas, que tudo fazem para exportar ilicitamente o combustível para a RDC”, referiu.

Disse existir outros fenómenos conexos ao contrabando de combustível como o caso da imigração ilegal, fraude fiscal e pesca ilegal, cujas medidas para o seu combate têm merecido o devido tratamento por parte dos órgãos afins.

Informou que só na semana passada, cerca de nove mil litros de combustível que tinham como destino a República Democrática do Congo (RDC) foram apreendidos pela Polícia de Guarda Fronteira na região, por presumível contrabando de derivados de petróleo.

O município do Soyo partilha uma vasta fronteira com as localidades do Muanda e Boma, República Democrática do Congo. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA