Parlamento angolano destaca nacionalista Manuel Pedro Pacavira

Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, consternado pela morte do nacionalista Manuel Pedro Pacavira (Foto: Cortesia do JA)

A Assembleia Nacional destacou nesta segunda-feira, em Luanda, o cidadão Manuel Pedro Pacavira como um nacionalista, político e cumpridor dos seus deveres com notabilidade nacional e internacional.

Numa nota enviada a propósito do falecimento do nacionalista angolano, ocorrido hoje (dia 12) na cidade de Lisboa, República de Portugal, vítima de doença, o parlamento afirma que Pedro Pacavira desde muito jovem dedicou a sua vida à luta contra o colonialismo, rumo à conquista da independência de Angola.

“Angola perdeu um dos seus melhores filhos, uma grande figura que ocupou vários cargos políticos, tendo contribuído para a paz e a democracia no país”, lê-se no documento, assinado pelo presidente do Parlamento angolano, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

Neste momento de tristeza e luto, venho em meu nome, dos deputados à Assembleia Nacional e dos funcionários parlamentares e dos agentes parlamentares, manifestar os nossos profundos sentimento de pesar e a nossa inteira solidariedade à família enlutada, refere.

Numa outra nota, chegada à Angop, o Presidente do Conselho de Administração da Fundação Sagrada Esperança, Roberto Victor de Almeida, lamenta pessoalmente a perda e manifesta profunda dor e consternação pelo passamento físico do nacionalista Manuel Pedro Pacavira.

“Neste momento de prostração e dor, o Conselho de Administração e o colectivo de trabalhadores da Fundação Sagrada Esperança solidarizam-se com a família enlutada”, sublinha.

Dados Biográficos de Manuel Pedro Pacavira:

Data de nascimento: 14 de Outubro de 1939

Naturalidade: Gulunqo Alto, Angola

Título Académico: Licenciatura cum laude em Ciências Sociais na Universidade de Havana – Cuba.

Actividades profissionais:

2014 – Deputado da Assembleia Nacional

2005-2014: Embaixador Extraordinário e plenipotenciário da República de Angola na Itália;

1991-2004: Governador da província do Kwanza-Norte;

1988-91: Representante de Angola junto das Nações Unidas;

1985-1988: Embaixador de Angola na República de Cuba;

1981-1985: Ministro da Agricultura;

1978-81: Ministro dos Transportes;

1976-77: Director dos Portos e Ferrovias de Angola.

Actividades políticas:

Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA;

Membro do movimento Clandestino da luta de libertação de Angola, tendo sofrido um período de 14 anos de prisão (de 1960 a 1974), por isso recebeu um atestado e uma medalha de ouro como combatente da liberdade de 1° grau em ocasião das comemorações do 30° aniversário da independência nacional celebrada a 11 de Novembro de 2005.

Actividades literárias:

Co-fundador da UEA – União dos Escritores Angolanos.

Escritor, autor de várias obras entre as quais: Gentes do mato, Nzinga Mbandi, N’dalatando em chamas, o 4 de Fevereiro pelos próprios, jfs – Uma vida em prol da pátria.

– Vice-presidente da Assembleia-geral da UEA no período 1980-1985. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA